Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Apesar de temporal, nível do Cantareira não sobe

Em compensação, os outros quatro mananciais que abastecem a Grande São Paulo registraram aumento por causa das chuvas

Por Da Redação 23 dez 2014, 11h18

Apesar das chuvas fortes que atingiram a Grande São Paulo nesta segunda-feira terem provocado o transbordamento de córregos e até do Rio Tietê, o nível do Sistema Cantareira continua estacionado em 6,7% da sua capacidade original pelo quinto dia seguido. Em compensação, o nível das outras quatro represas – Guarapiranga, Alto Tietê, Rio Grande, Alto Cotia -, que também abastecem a região, aumentou por causa do temporal. Os dados foram divulgados nesta terça-feira pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).

A última alta registrada no Cantareira, responsável pelo abastecimento de 6,5 milhões de pessoas, ocorreu no dia 16 de abril, sem contar os dias em que as duas cotas do volume morto foram adicionadas ao volume original. E na ocasião choveu menos sobre o manancial do que ontem. No dia 16, foram contabilizados 21,1 milímetros de água enquanto que nesta segunda-feira foram 27,7, milímetros.

Em relação aos reservatórios beneficiados pela chuva, o nível do Guarapiranga, que abastece 4,9 milhões de pessoas, subiu 1,4%. O Alto Tietê, que distribui água para 4,5 milhões de habitantes e também passa por uma crise semelhante à do Cantareira, cresceu 0,4%. O Alto Cotia teve alta de 0,5%, e o Rio Grande foi o que registrou o maior aumento, de 2,5%.

Leia também:

Nível do Cantareira já caiu mais da metade após 2ª cota do volume morto

Continua após a publicidade
Publicidade