Clique e Assine VEJA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Amigos suspeitam de ex-marido em morte de galerista americano no Rio

Suspeito de cometer latrocínio foi preso pela Delegacia de Homicídios em Minas Gerais, enquanto tentava escapar

Por Da Redação Atualizado em 7 Maio 2024, 16h19 - Publicado em 18 jan 2024, 11h36

Um homem de 30 anos foi preso pela polícia civil do Rio de Janeiro acusado de matar o galerista americano Brent Sikkema, 75 anos, que foi encontrado morto na segunda-feira, 15, em sua casa, no Jardim Botânico, bairro nobre da capital fluminense. O corpo apresentava perfurações de arma branca.

O suspeito tem cidadania cubana e foi identificado como Alejandro Triana Trevez. Segundo os agentes da divisão de homicídios,  após o crime, ele fugiu para São Paulo e, posteriormente, seguiu para Minas Gerais. Trevez foi detido na BR 050, que liga São Paulo à Brasília, no município de Uberaba. Com ele estavam 3 000 dólares que pertenceriam ao galerista.

A prisão contou com o apoio da polícia civil de Sao Paulo e da Polícia Rodoviária Federal. Levado

A principal linha de investigação é que Brent foi  vítima de um latrocínio, o roubo seguido de morte. Imagens de câmeras de vigilância obtidas pela TV Globo mostram que o assassino monitorou as atividades do galerista durante 14 horas. Na madrugada de sábado para domingo, um homem entra no imóvel e lá permanece por 14  minutos até sair e tirar as luvas que usava para nao deixar pistas.

As circunstâncias do crime levam a crer que a ação do bandido foi premeditada. A polícia investiga ainda se há outra pessoa envolvida no assassinato, já que uma luz observada dentro do carro sugere que alguém no banco de trás do veículo utilizou o celular.

Continua após a publicidade

Brent Sikkema era sócio da Sikkema Jenkins & Co, uma galeria de arte contemporânea renomada no bairro de Chelsea, em Nova York. Dono de uma fortuna, o milionário era paixonado pelo Brasil e costumava vir ao país para passar as festas de fim de ano e o carnaval.

Suspeita de envolvimento do marido

Brent era casado com outro homem identificado como Daniel, ou Danny,  mas vivia um proceso conturbado de divórcio, de acordo com o jornal Folha de S. Paulo.

Os dois tinham um filho de 12 anos, que teria sido gerado a partir de uma barriga de aluguel. O garoto, segundo a reportagem, seria filho biológico de Daniel, que teria cortado relações com Brent e fugido para uma ilha no Caribe, onde o galerista também mantinha uma casa.

Segundo relato de amigos, Danny, que é cubano assim como o suspeito de cometer o crime, estava exigindo o pagamento de uma pensão no valor de 6 milhões de dólares. Na véspera de sua morte, Brent teria confidenciado a amigos que estava aflito com toda a situação.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 9,90/mês*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de 49,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$118,80, equivalente a 9,90/mês.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.