Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Aeronáutica finaliza relatório sobre acidente de Campos

Comandante da Aeronáutica afirmou que o documento apontará as causas do acidente aéreo e fará recomendações para prevenir novas tragédias

Por Laryssa Borges Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
6 jan 2015, 12h57

O comandante da Aeronáutica, brigadeiro-do-ar Juniti Saito, informou nesta terça-feira que até o fim do mês será divulgado o primeiro relatório sobre as investigações que envolvem a queda do jato que matou o ex-candidato à Presidência Eduardo Campos em agosto. De acordo com Saito, que participou da transmissão de cargo do novo ministro da Secretaria de Aviação Civil, Eliseu Padilha, o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) apresentará nas próximas semanas as primeiras informações e recomendações sobre a tragédia que matou sete pessoas em Santos, no dia 13 de agosto.

Leia também:

Jato usado por Campos segue fora da prestação de contas do PSB

Não é responsabilidade do Cenipa apontar os culpados pelo acidente aéreo, mas o documento deve evidenciar as causas que motivaram a queda da aeronave. As principais dificuldades das equipes de investigação, segundo Saito, são a ausência de sobreviventes, as péssimas condições da fuselagem do avião após a queda e o fato de as caixas pretas não terem gravado informações suficientes para esclarecer a tragédia. De acordo com o comandante da Aeronáutica, a caixa preta gravava apenas duas horas de informações de voo e, em seguida, registrava novas informações sobre as antigas, o que dificultaria recolher dados úteis sobre o caso.

Continua após a publicidade

No relatório a ser divulgado pelo Cenipa, o órgão de prevenção de acidentes aéreos fará recomendações para tentar evitar novos desastres com aeronaves de pequeno porte. Nos últimos dias, foram colhidos depoimentos para tentar esclarecer as circunstâncias da morte de Campos, apontar em que medida as condições climáticas podem ter levado à queda da aeronave e analisar as últimas informações trocadas entre o jato e o controle de tráfego aéreo.

O jato Cessna 560XL (prefixo PR-AFA), da empresa paulista AF Andrade Empreendimentos e Participações, decolou do Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, às 9h21 do dia 13 de agosto, com destino ao aeroporto de Guarujá (SP). Quando a aeronave se preparava para o pouso, arremeteu devido ao mau tempo. Em seguida, o controle de tráfego aéreo perdeu contato com o jato.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.