Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Acusado de assédio, Wassef se diz vítima de tentativa de homicídio

Advogado de Bolsonaro nega ter cantado mulher em restaurante e registra queixa em delegacia após marido tentar atacá-lo com faca

Por Sofia Cerqueira Atualizado em 21 ago 2021, 20h21 - Publicado em 21 ago 2021, 20h13

O advogado que defende a família Bolsonaro, Frederick Wassef, se envolveu em um episódio polêmico na tarde deste sábado, 21. Ele foi acusado de ter assediado uma mulher no restaurante Chicago Prime, no Lago Sul, em Brasília, e, em seguida, seu marido teria tentado agredi-lo com uma faca. Wassef, que prestou queixa na 10ª DP (Lago Sul) no início da noite, tem outra história e alega ter sido vítima de uma tentativa de homicídio.  O advogado diz que poderá provar sua verão com as imagens do circuito interno de vídeo do restaurante, que deve ser pedido pela polícia.

Wassef falou a VEJA e negou a acusação de assédio. A confusão, segundo ele, começou quando a mulher teria sido bastante deselegante, fazendo críticas a ele e ao presidente Jair Bolsonaro e o agredindo gratuitamente. “Eu cheguei ao restaurante e uma senhora começou a me ofender. Me xingou e disse impropérios do presidente, justificando que odiava o Bolsonaro.” Wassef afirmou ainda que o marido dela teria, inclusive, pedido desculpas e chegado a oferecê-lo dinheiro, o que não aceitou.

Wassef afirmou ainda que após o casal deixar o restaurante, o marido voltou sozinho, quanto tentou atacá-lo com uma faca. “Ele tentou me assassinar dizendo que sua mulher havia contado que eu teria mexido com ela na porta do banheiro. Em nenhum momento eu cheguei perto dessa mulher”, diz.  Muito nervoso, prosseguiu: “Eu sou a vítima e quase perdi a minha vida. Fui perseguido na rua e só não fui atingido pela facada porque puxei meu corpo. Saí correndo e esse homem com a faca atrás. Várias pessoas viram. Ele foi segurado por populares para impedir que me matasse”.

O caso será investigado pela 10ª DP de Brasília.

Continua após a publicidade
Publicidade