Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

A cronologia da tomada da Rocinha

Policiais do Bope controlaram o território às 6h, com mil homens no interior das favelas. Cerco na mata começou 36 horas antes

Por Da Redação 13 nov 2011, 06h08

Mais planejada que a ocupação do Alemão, a operação ‘Choque de Paz’, na Rocinha, no Vidigal e na Chácara do Céu conseguiu, pela primeira vez, capturar o principal chefe da quadrilha. Até então, o ‘peixes grades’ escapavam. Conheça o passo a passo da ação:

Quarta-feira

O cerco tático montado para impedir a fuga de traficantes consegue interceptar um ‘bonde’ de traficantes, escoltados por policiais corruptos. Entre os presos estão os traficantes ‘Coelho’ e ‘Peixe’, sócios do bandido Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem da Rocinha, principal alvo da ação.

Quinta-feira

Por volta da 0h de quinta-feira foi encontrado, na Lagoa, o traficante Nem, que tentava escapar no porta-malas de um Toyota Corolla preto. Ele era conduzido por três advogados que tentaram subornar policiais.

Sexta-feira

Na tarde de sexta-feira, cerca de 40 homens do Bope especializados em operações na mata ocuparam posições na floresta que cerca a favela da Rocinha. Eles permaneceram para interceptar possíveis fugitivos, pelas trilhas da mata.

Sábado

Barreiras em rodovias e nas ruas ao redor da Rocinha receberam operações de revista, parte do cerco tático armado para tentar capturar traficantes da favela.

Continua após a publicidade

Domingo

2h30

Ruas da zona sul foram bloqueadas, para permitir a circulação dos blindados e evitar a fuga de traficantes.

4h

Começa o deslocamento de blindados da Marinha e ‘caveirões’ do Bope, rumo à Rocinha e ao Vidigal.

4h15

Teve início o desembarque de policiais militares e fuzileiros navais, que fizeram os primeiros deslocamentos no interior das favelas.

6h

Nesse horário, com mil homens dentro das favelas da Rocinha, Vidigal e Chácara do Céu, o Bope informou que as favelas estavam ocupadas. Começou, então, a procura por criminosos, armas, drogas, esconderijos e instalações do tráfico de drogas.

Continua após a publicidade
Publicidade