Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
#VirouViral Por Coluna Como surgem e se espalham os assuntos mais comentados da internet

Entrevista: na web, mulher responde a homem que tentou estuprá-la

"Minha mensagem é para apoiar as mulheres. Só quero que sintam que nunca estarão sozinhas", afirmou ela, a este blog

Por Talissa Monteiro Atualizado em 30 jul 2020, 21h05 - Publicado em 20 dez 2016, 19h11

Um texto de Sara Roebuck, uma estudante inglesa de 24 anos, viralizou nas redes sociais. O tema, delicado: online, ela escreveu uma carta aberta ao homem que tentou estuprá-la (e está preso há dez meses por isso, esperando seu julgamento). 

O crime aconteceu no começo deste ano, em uma boate parisiense. A jovem tinha acabado de se mudar para a capital francesa e saiu para comemorar a nova casa, quando o agressor a prendeu em um pequeno quarto na casa noturna e a atacou.

Quase um ano depois, os dois se reencontraram no tribunal. Ao #VirouViral, Sara contou que foi justamente esse encontro que a motivou a escrever a carta, compartilhada pela plataforma Medium:

Por que você decidiu escrever a carta? Escrevi porque eu lidava com um turbilhão de emoções dentro de mim depois do julgamento. Então, fui para casa, abri o computador e comecei a escrever, e escrever, e escrever. Simplesmente não conseguia parar.

Então foi uma forma de aliviar o que você estava sentindo? Sim. Mas nunca foi só para mim. Visei também passar uma mensagem a toda mulher que se identifique com o texto e com o que eu vivi. Quero que as minhas palavras ajudem todas a se sentirem empoderadas, mais fortes.

Escrever te ajudou a seguir em frente? Sim. Sinto-me com poder por poder me expressar pelas minhas próprias palavras. Estou leve e pronta para viver a minha vida. Meu plano é continuar os meus estudos e apoiar outras mulheres que passaram pelo que eu passei.

Depois do post, você sofreu com haters na internet? Não me deparei com nenhum comentário hostil, pois acho que as pessoas perceberam que quero apenas ajudar outras pessoas com o que eu escrevi. Agora, os haters machistas poderiam até pensar o que eles quiserem. Não muda em minha postura. Sempre lutarei pela igualdade e pelos direitos das mulheres.

Em algum momento você sentiu medo de retaliação por parte do seu agressor? Não tenho nada para dizer sobre ele. A vida dele não me interessa. Minha mensagem é para apoiar as mulheres. Só quero que sintam que nunca estarão sozinhas. E se eu consegui levar um pouco de paz para elas, já me considero realizada.

Continua após a publicidade
Publicidade