Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
VEJA Recomenda Por Coluna Os principais lançamentos da música, do cinema, da literatura e da produção infanto-juvenil, além da TV, comentados pelo time de VEJA

Nova fase de ‘Sex Education’ entra no espinhoso tema que prega o celibato

Bom e raro exemplar do filão juvenil, terceira temporada da série da Netflix tem a máxima "meu corpo, minhas regras" como arma contra o moralismo

Por Amanda Capuano Atualizado em 20 set 2021, 17h18 - Publicado em 17 set 2021, 07h00

Um bom e raro exemplar do filão juvenil, a série britânica foge do clichê de mostrar jovens sempre desenvoltos na hora do “rala e rola”: em vez disso, opta por pintar uma versão mais verossímil, na qual o florescer sexual é repleto de inseguranças e situações tão embaraçosas quanto reais. Na nova fase da trama cômica, o protagonista Otis (Asa Butterfield), filho de uma sexóloga (a ótima Gillian Anderson), não consegue mais suprir os colegas com informações quentíssimas sobre sexo. Ao mesmo tempo, a nova diretora do colégio deixa os alunos à própria sorte quando resolve que o melhor tipo de educação sexual é o incentivo ao celibato. A ideia é combatida pela empoderada Maeve (Emma Mackey), que faz frente à medida conservadora valendo-se da máxima “meu corpo, minhas regras”.

Publicidade