Clique e assine a partir de 9,90/mês
VEJA Gente Por João Batista Jr. Notícias, bastidores e conversas de quem é assunto na cultura, na política, nos negócios e em outras rodas

Luisa Mell e marido com pneumonia via coronavírus: “Não é gripezinha”

Ela sente dores no peito e nas costas

Por João Batista Jr. - Atualizado em 23 mar 2020, 18h17 - Publicado em 23 mar 2020, 18h05

Com fortes dores nas costas e no peito há mais de uma semana, a ativista Luisa Mell teve no domingo, 22, o diagnóstico que suspeitava: está com coronavírus. Seu marido, o empresário Gilberto Zaborowsky, também testou positivo e precisou ser internado no Hospital Albert Einstein, em São Paulo.

Como está o quadro de vocês? Há nove dias, sinto dores nas costas e no peito. Cheguei a tomar Novalgina um dia, ocorreu uma pequena melhora. O mesmo com meu marido, também sentindo dores. No domingo passado, 15, ele fez uma tomografia do pulmão e não apareceu nada. Só que a dificuldade de respirar e dores foram aumentando. A mesma tomografia feita ontem por ele mostrou o pulmão tomado pelo vírus. Ao contrário do que falam, não é uma gripezinha. A Covid-19 age de forma rápida, machuca a pessoa e precisa ser combatida para ontem. Eu e meu marido fomos diagnosticados com coronavírus. Só não soubemos antes porque o demorou muito para ficarem prontos os exames.

A que se deve a demora? Eu sinto dores há mais de uma semana, mas os hospitais estão saturados e há esse tempo enorme, de 72 horas, para ficar pronto o resultado. É ruim, pois tem gente que nesse período espalha para outras pessoas e não recebe o tratamento adequado.

Quais medidas vocês dois tomaram? Meu marido precisou ser internado, eu não. Ele deve receber alta daqui uma semana, depois de analisarem a diminuição do quadro. Estamos aflitos. Tenho tomado dois remédios. As dores que sinto são fortes, sobretudo à noite. Em casa, é ruim precisar ficar isolada do meu filho. O Enzo, de 5 anos, chora porque o pai está fora e não pode ficar perto de mim. Nem minha mãe pode vir em casa, ela teve um câncer justamente no pulmão e faz parte do grupo de risco.

Publicidade