Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
VEJA Gente Por Cleo Guimarães Notícias sobre as pessoas mais influentes do mundo do entretenimento, das artes e dos negócios

As pretensões políticas do jogador de vôlei Mauricio Souza

Afastado de seu time temporariamente por ter publicado posts homofóbicos, atleta bolsonarista contará com o apoio da família do presidente

Por Cleo Guimarães 27 out 2021, 10h44

O jogador de vôlei Mauricio Souza quer entrar para a política. O atleta, declaradamente de direita, contará com o apoio da família Bolsonaro para uma possível candidatura já nas eleições de 2022. O central da seleção sempre se disse “um fã” do presidente e de seus filhos, numa relação que parece ser recíproca, a julgar pelos posts elogiosos que Jair e o deputado federal Eduardo Bolsonaro compartilharam, mais de uma vez, em suas redes.

“Nós te amamos! Valeu, Maurício. Valeu, equipe!”, disse o presidente, em vídeo divulgado logo depois da derrota da seleção brasileira para a Argentina na Olimpíada, quando o time brasileiro perdeu a disputa pela medalha de bronze. Maurício foi bastante criticado pelo seu desempenho na partida decisiva.

O agradecimento pelo apoio veio em seguida, em tons patrióticos: “Obrigado presidente pela torcida! Infelizmente não conseguimos o resultado, vamos continuar sempre lutando pela nossa nação! Grande abraço capitão @jairmessiasbolsonaro”, escreveu o atleta, marcando o perfil oficial de Bolsonaro.

Em agosto, logo depois da Olimpíada – a primeira desde 2000 em que o vôlei brasileiro não conquistou nenhuma medalha – Mauricio foi recebido por Eduardo Bolsonaro e pelo presidente, em Brasília. O deputado publicou fotos do encontro e afirmou que era uma “satisfação” receber o atleta. “Tudo de bom campeão! Parabéns por tão bem representar nossa bandeira pelo mundo”.

Continua após a publicidade

Publicidade