Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

As penas da discórdia

Na cabeça, uma mistura de fios de seda — e penas de faisão verdadeiras: isso bastou para acusarem Juliana Paes de inimiga da natureza

O processo foi supervisionado: oito seguranças formaram uma roda e, dentro dela, Juliana Paes tirou um robe de seda verde para que seu figurinista colocasse o costeiro, durante dois longos minutos de silêncio. Finalizada a operação, a atriz mexeu os braços para ver se a armação estava bem encaixada. Pronto: saía da casca a Ave Rara do Paraíso, rainha de bateria da Grande Rio. O adereço das costas foi feito com penas sintéticas de faisão. Na cabeça, uma mistura de fios de seda — e penas verdadeiras: isso bastou para acusarem Juliana de inimiga da natureza. “O objetivo da fantasia era chamar atenção para as aves em extinção, todo o material que usei era reciclado”, diz. “A causa ambientalista é nobre, e eu a apoio, mas não podemos chafurdar a indústria do Carnaval.”

Publicado em VEJA de 13 de março de 2019, edição nº 2625

Envie sua mensagem para a seção de cartas de VEJA
Qual a sua opinião sobre o tema desta reportagem? Se deseja ter seu comentário publicado na edição semanal de VEJA, escreva para veja@abril.com.br

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. José Carlos Fagundes

    É uma pena que se liguem nas penas aderecistas da fantasia e não na beleza plástica de sensual de Juliana Paes. Uma atriz talentosa e de uma beleza singular. Juliana, o resto é… resto.

    Curtir