Clique e assine a partir de 9,90/mês
Nova Temporada Por Fernanda Furquim Este é um espaço dedicado às séries e minisséries produzidas para a televisão. Traz informações, comentários e curiosidades sobre produções de todas as épocas.

Notas de Falecimentos – Setembro 2016

Gary Glasberg (1966-2016) Roteirista e produtor, criador da série NCIS: New Orleans, Gary Glasberg faleceu no dia 28 de setembro, aos 50 anos de idade, enquanto dormia. A morte foi divulgada como causas naturais. Glasberg nasceu no dia 15 de julho de 1966, em Nova Iorque. Ele iniciou sua carreira como escritor de HQs, chegando […]

Por Fernanda Furquim - Atualizado em 30 jul 2020, 21h41 - Publicado em 1 out 2016, 11h29
Gary Glasberg em 2014 (Foto: Monty Brinton/CBS)

Gary Glasberg em 2014 (Foto: Monty Brinton/CBS)

Gary Glasberg (1966-2016)

Roteirista e produtor, criador da série NCIS: New Orleans, Gary Glasberg faleceu no dia 28 de setembro, aos 50 anos de idade, enquanto dormia. A morte foi divulgada como causas naturais.

Glasberg nasceu no dia 15 de julho de 1966, em Nova Iorque. Ele iniciou sua carreira como escritor de HQs, chegando na TV na década de 1990, como roteirista de séries animadas.

Logo depois, Glasberg começou a escrever episódios de séries estreladas por atores, como Viper, L.A. Doctors, The Street, Mercy Point, Bones, Shark e The Mentalist, entre outros.

No início da década de 2000, ele agregou a função de produtor, assumindo o cargo  de produtor executivo de Crossing Jordan, para a qual também assinou alguns roteiros. Em 2009, Glasberg entrou na equipe de roteiristas de NCIS, que estava em sua sétima temporada. No ano seguinte, ele passou a atuar também como produtor executivo da série.

Cena de 'NCIS: New Orleans' (Foto: Skip Bolen/CBS)

Cena de ‘NCIS: New Orleans’ (Foto: Skip Bolen/CBS)

Em 2014, Glasberg criou NCIS: New Orleans, spinoff de NCIS estrelada por Scott Bakula. Desde então, ele vinha dividindo seu tempo entre roteirista e produtor executivo de NCIS: New Orleans, e produtor executivo de NCIS.

Desde 1996 era casado com a produtora e roteirista Mimi Schmir, com quem teve dois filhos, Dash Glasberg e Eli Glasberg.

 

 

Jon Polito

Jon Polito (Foto via IMDB)

Jon Polito (1950-2016)

Ator da série Homicide: Life on the Streets, Jon Polito faleceu no dia 1º setembro, aos 65 anos de idade, vítima de complicações causadas por múltiplos melanomas.

Jon Raymond Polito nasceu no dia 29 de dezembro de 1950 na Filadélfia, em uma família descendente de italianos. Formado em arte dramática pela Villanova University, Polito estreou como ator no teatro, chegando à Broadway na década de 1970. Na TV, ele estreou no início da década de 1980, com a minissérie The Gangster Chronicles, na qual interpretou Thomas Luchese.

Polito em 1986

Polito em 1986 (Foto via IMDB)

Ao longo de sua carreira, ele foi visto em participações especiais em episódios de O Homem da Máfia, Equalizer, Miami Vice, Contos da Cripta, Os Intocáveis (remake), Viper, Assassinato por Escrito, Chicago Hope, Louco Por Você/Mad About You, Chefe Burke/Burke’s Law, Nova Iorque Contra o Crime/NYPD Blue, Roseanne, Life With Louie, Seinfeld, New York Undercover, Millennium, Nash Bridges, The Pretender, Early Edition, Gideon’s Crossing, Becker, Crossing Jordan, Gilmore Girls, A Juíza, My Wife and Kids, Desperate Housewives, Medium, Two and a Half Men, The Mentalist, It’s Always Sunny in Philadelphia, Franklin and Bash, Bunheads, Castle, Murder in the First, Modern Family e Mike & Molly, entre outras. Ele também teve participações recorrentes em Ohara, Sonhando Acordado/Dream On, Crime Story e Raising the Bar.

'Homicide: Life on the Streets' (Foto: Paul Drinkwater/NBC/Arquivo)

‘Homicide: Life on the Streets’ (Foto: Paul Drinkwater/NBC/Arquivo)

Entre 1993 e 1994, Polito integrou o elenco de Homicide: Life on the Streets, como o detetive Steve Crosetti, personagem originalmente criado para ser um irlandês, mas que foi reformulado para o ator. Em função da baixa audiência conquistada pelas duas primeiras temporadas, a NBC exigiu mudanças criativas, o que levou ao afastamento do personagem de Polito no final da segunda temporada.

The ChronicleOs produtores prometeram ao ator que trariam o personagem de volta ao longo da série mas, inconformado, Polito deu entrevistas criticando seu afastamento. Isto fez com que seu personagem saísse da história definitivamente. Na trama, Crosetti cometeu suicídio, em cena não filmada.

Continua após a publicidade

Ele voltaria a integrar o elenco de uma série em 2001, com a sitcom The Chronicle, sobre um jornalista que se vê forçado a trabalhar em um tablóide sensacionalista, onde descobre que todas as notícias divulgadas são verdadeiras. Polito interpretou o editor Donald Stern. A produção durou uma única temporada.

No cinema, Polito era mais conhecido por estrelar filmes dos irmãos Ethan e Joel Coen, como Na Roda da Fortuna, Barton Fink, O Homem que não Estava Lá, Ajuste Final e O Grande Lebowski.

Gay assumido, Polito se casou em 2015 com o ator Darryl Armbruster, que ele conheceu em 1999.

 

 

Leslie H. Martinson  (Foto: Jon Kopaloff/FilmMagic)

Leslie H. Martinson (Foto: Jon Kopaloff/FilmMagic)

Leslie H. Martison (1915-2016)

Diretor de séries produzidas entre as décadas de 1950 e 1980, Leslie H. Martison faleceu no dia 3 de setembro, aos 101 anos de idade.

Herbert Leslie Martinson nasceu no dia 16 de janeiro de 1915 em Boston, Massachusetts. Estudou Publicidade e Propaganda na Boston University antes de iniciar uma carreira de jornalista no The Boston Evening Transcript.

Durante a cobertura de um evento em Los Angeles, Martison decidiu mudar de carreira. No final da década de 1930, ele foi contratado pela MGM como assistente de roteiros. Mais tarde, ele assumiu a função de supervisor de roteiros.

A carreira foi interrompida durante a 2ª Guerra Mundial, quando Martison foi convocado pelo exército, sendo enviado para o Pacífico, Guadalcanal e Fuji.

Henderson com o elenco de 'Missão: Impossível' no episódio 'Stone Pillow', de 1971. (Foto: CBS/Arquivo)

Henderson com o elenco de ‘Missão: Impossível’ no episódio ‘Stone Pillow’, de 1971. (Foto: CBS/Arquivo)

Ao retornar para os EUA, ele passou a atuar como assistente de diretor. Em 1953, iniciou sua carreira de diretor na TV, com a série City Detective. Ao longo dos anos, assinou episódios de The Roy Rogers Show, The Mickey Rooney Show, Topper, Conflict, Colt 45, Cheyenne, Maverick, Hawaiian Eye, Lawman, Bronco, The Roaring 20’s, 77th Sunset Strip, Alma de Aço/Run For Your Life, Mister Roberts, Batman, Besouro Verde, O Imortal, Smith & Jones, Têmpera de Aço, Missão: Impossível, O Jogo Perigoso do Amor/Love American Style, The Brady Bunch, Mannix, Room 222, O Homem de Seis Milhões de Dólares, Cannon, A Mulher Biônica, Código R, Barnaby Jones, A Família Robinson, Dallas, Xerife Lobo, Oito é Demais, Quincy, CHiPs, Manimal, A Ilha da Fantasia, Super Vicky e Águia de Fogo, entre outros. Ele também foi responsável pela direção da versão cinematográfica de Batman, lançada em 1966.

Martinson se afastou da carreira na década de 1990, aos 85 anos. Por oito anos, ele foi presidente do West Coast Jewish Theater, em Los Angeles.

Em 1956, Martison se casou com Constance Frye, com quem teve uma filha, Julianna Carner, e com quem ainda vivia.

 

Cliquem nas fotos para ampliar.

________________________

No mês de setembro também faleceram os atores Hugh O’Brien, James Stacy e Domingos Montagner.

 

Continua após a publicidade
Publicidade