Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Nova Temporada Por Fernanda Furquim Este é um espaço dedicado às séries e minisséries produzidas para a televisão. Traz informações, comentários e curiosidades sobre produções de todas as épocas.

Biografia: Mark Goddard, o Major West de Perdidos no Espaço

A série é uma das mais lembradas pelos fãs de Irwin Allen. Produzida na década de 1960, “Perdidos no Espaço” faz parte das ‘quatro grandes’ produções de Allen para a TV. A história sobre uma família enviada ao espaço para colonizar outro planeta tem como base o livro “The Swiss Family Robinson”, de Johann David […]

Por Fernanda Furquim Atualizado em 1 dez 2016, 16h06 - Publicado em 26 fev 2011, 16h28

A série é uma das mais lembradas pelos fãs de Irwin Allen. Produzida na década de 1960, “Perdidos no Espaço” faz parte das ‘quatro grandes’ produções de Allen para a TV. A história sobre uma família enviada ao espaço para colonizar outro planeta tem como base o livro “The Swiss Family Robinson”, de Johann David Wyss, publicado em 1812, que seria novamente adaptado por Allen na série dos anos de 1970, “A Família Robinson“.

Para sua empreitada no espaço, a família contava com a ajuda do Major Don West, piloto da nave Júpiter II. O personagem era interpretado por Mark Goddard, escalado para ser o galã da série. No início, Don era interessado em Judy (Marta Kristen), filha mais velha dos Robinsons. Mas, com o tempo, conforme a série foi sendo redirecionada mais para o público infanto-juvenil e para a comédia, essa relação foi se diluindo.

Esta não foi a primeira série na qual Mark integrou o elenco fixo. Antes de “Perdidos no Espaço” ele esteve em “Johnny Ringo”, “Robert Taylor, Detetive” e “Many Happy Returns”.

Seu nome verdadeiro é Charles Goddard, nascido em 24 de julho de 1936 em Lowell, Massachusetts. Capitão do time de beisebol e basquete da escola, Goddard pensou em se profissionalizar, mas acabou largando tudo para investir na carreira de ator. Sua primeira experiência no palco foi uma montagem estudantil de uma peça de Shakespeare.

Depois de se formar na American Academy of Dramatic Arts de Nova Iorque, Goddard viajou pelo estado da Flórida apresentando-se com várias montagens. Buscando melhores oportunidades de trabalho, ele se mudou para Los Angeles. Segundo dizem, ele teria escrito uma carta ao diretor Joseph Anthony pedindo conselhos de como conseguir trabalho em Hollywood. Para sua surpresa, a carta surtiu efeito. Anthony o indicou à agência William Morris, uma das mais importantes na época, que começou a chamá-lo para testes.

Um de seus primeiros testes foi para uma nova série produzida por Dick Powell e Aaron Spelling, o faroeste “Johnny Ringo”. Produzida pela Four Star Television, empresa dos atores Dick Powell, David Niven, Ida Lupino e Charles Boyer, para o canal CBS, a série apresentava as aventuras do xerife Ringo (Don Durant, 1932-2005) e seu auxiliar Cully (Goddard). O personagem Johnny Ringo era uma referência ao verdadeiro pistoleiro do velho oeste que, na série, decide deixar tudo de lado para assumir o cargo de xerife.

Foi a partir de “Johnny Ringo” que o ator passou a usar o nome de Mark Goddard, por sugestão de Chuck Connors (O Homem do Rifle). A série foi produzida entre 1959 e 1960, totalizando 38 episódios em preto e branco. Depois que a produção foi cancelada, Mark não ficou sem trabalho por muito tempo. No mesmo ano entrou para o elenco de “Robert Taylor, Detetive (Robert Taylor’s Detectives ), outra série da Four Stars Television produzida entre 1959 e 1962, primeiro para a ABC e depois para a NBC.

Mark entrou para o elenco em seu segundo ano, substituindo Lee Farr, que interpretava o detetive da polícia Jim Conway. Mark assumiu um novo personagem, chamado Chris Ballard, detetive da divisão de roubos.

Com o fim da série, Mark entrou no circuito de participações especiais, tendo sido visto em episódios de “O Homem do Rifle”, “A Lei de Burke”, “A Família Buscapé”, “Perry Mason”, “Gunsmoke”, “O Homem de Virginia” e “O Fugitivo”.

Em 1964 surgiu uma nova série, “Many Happy Returns”, produzida pela Lindabob Productions em parceria com a MGM Television, com patrocínio da General Foods. A sticom girava em torno de um viúvo, Walter Burnley (John McGiver) e sua família. Mark interpretou o marido de uma das filhas de Walter, que por sua vez era interpretada por Elinor Donahue, de “Papai Sabe Tudo”.

Robert Guillaume e Mark Goddard em “O Poderoso Benson”

A série foi cancelada em 1965, com uma única temporada produzida, levando Mark a entrar no elenco daquela que marcaria sua carreira: “Perdidos no Espaço“.

Continua após a publicidade

No primeiro episódio piloto filmado, a história não contava com as presenças do Dr. Smith (Jonathan Harris) e do Robô, incluídos quando o segundo piloto foi produzido.

Mark interpretou o Major Don West, inicialmente criado para ser um cientista, mas que foi transformado em piloto da nave Júpiter II quando a produção teve início. Para surpresa do elenco, “Perdidos no Espaço” foi transformada em série, produzida ao longo de três temporadas. A primeira, filmada em preto e branco, tinha uma abordagem mais séria, mas, com o sucesso de “Batman”, a produção ganhou um tom mais cômico a partir do segundo ano, quando passou a ser exibida a cores. Cada episódio encerrava com um cliffhanger (situação em aberto), que introduzia a história do episódio seguinte.

Mark e Julie Adams em “Mod Squad”

A partir do segundo ano, os personagens do Dr. Smith, Robô e do menino Will passaram a dominar as histórias, transformando os demais em atores coadjuvantes. A fórmula funcionou mas, para a quarta temporada planejada por Irwin Allen, a história começaria a aproveitar melhor os demais personagens.

Um novo personagem seria introduzido, transformando-se em um interesse romântico de Judy; o que levaria o Major West a ter crises de ciúmes. No entanto, “Perdidos no Espaço” não chegou a ser renovada.

É possível que seu cancelamento esteja relacionado à produção de “Terra de Gigantes”. Em função de seu alto custo, as demais séries de Allen teriam sido canceladas. Por curiosidade, uma nova versão chegou a ser cogitada para a série em 2004, com a produção de um piloto, que não vingou.

Com o fim  de “Perdidos no Espaço”, Mark teve dificuldades de conseguir outros trabalhos, por ter ficado muito marcado com a série. Nesta época, o ator se dividiu entre duas carreiras: de ator, com participações especiais em séries,  e de agente de outros atores. Entre os anos de 1960 e 1980, Mark foi visto em séries como “Barnaby Jones”, “São Francisco Urgente”, “Mod Squad”,”Switch”, “Quincy”, “O Poderoso Benson, “As Aventuras de B.J.”, “O Mestre”, “Jake e McCabe”, “Duro na Queda”, entre outros, incluindo novelas.

Mark Goddard em 2010 (Foto: Jani Fleet, Annette Vogel e John Wilson)

O ator também tentou seguir uma carreira no teatro e no cinema, tendo atuado no musical “The Act”, ao lado de Liza Minelli entre 1977 e 1978.

Mas, no final da década de 1980, Mark desistiu da carreira, buscando outras oportunidades profissionais. Ele voltou para Massachussets, onde se formou em Educação pela Bridgewater State College. Trabalhou como professor substituto, treinador de basquete e como apresentador de um programa educacional chamado “No So Strickly Speaking”, produzido pela TV a cabo local.

Mark exerce a profissão de professor e trabalha com crianças que têm problemas de comportamento. Em 1992, ele e sua filha Melissa, escreveram e produziram o filme “Big Girls Don’t Cry…They Get Even”, que narrava o trabalho de Mark. Em 2009, ele publicou sua autobiografia: “To Space and Back”.

Ele voltaria a fazer alguns trabalhos como ator em, pelo menos, três ocasiões. A primeira em 1998, como um General em rápida participação na versão cinematográfica de “Perdidos no Espaço”; as demais foram os filmes “Overnight Sensation”, em 2000, e “Soupernatural”, em 2010, que o reuniu a outros atores de séries clássicas, como Lou Ferrigno, Butch Patrick, Pamela Sue Martin e Kathy Garver.

Consta que Goddard foi casado três vezes. A primeira com Marcia Rogers, entre 1961 e 1969, com quem teve dois filhos: Melissa Goddard, produtora e roteirista, e Christopher; a segunda com Susan Anspach, entre 1970 e 1978, com quem teve um filho, Caleb; e a terceira com Evelyn Pezzulich, em 1990, com quem teve um filho, John, nome em homenagem ao personagem John Robinson (Guy Williams) de “Perdidos no Espaço”.

Confiram aqui entrevista em vídeo com o ator realizada em 2009.

Mark Goddard ao lado do Robô de “Perdidos no Espaço”, em 2010 (Foto: Jani Fleet, Annette Vogel e John Wilson)

Continua após a publicidade
Publicidade