Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
#TBT Olímpico A história de VEJA nos Jogos

O único homem na face da Terra que venceu Bolt

Em 2016, VEJA esteve na Jamaica, entrevistou o maior velocista de todos os tempos e revelou as origens do campeão em sua pequeníssima cidade natal

Por Fábio Altman Atualizado em 31 jul 2021, 22h25 - Publicado em 31 jul 2021, 11h05
Capa da revista Veja, edição 2489, de 3 de agosto de 2016 -
Capa da revista Veja, edição 2489, de 3 de agosto de 2016 – Reprodução/VEJA

Amanhã, domingo, 09h50, é dia de o mundo conhecer o homem mais rápido do planeta, o sucessor do tricampeão olímpico Usain Bolt. Nos Jogos do Rio, em 2016, VEJA fez quatro capas diferentes em uma mesma edição: com o tenista sérvio Novak Djokovic, entrevistado com exclusividade pelo repórter Alexandre Salvador; a nadadora americana Katie Ledecky; a brasileira Fabiana Murer, do salto com vara, e Bolt. O jamaicano falou com VEJA em Kingston, quatro meses antes da Olimpíada. Lembrou do único ser humano na face da terra que chegou a vencê-lo numa corrida. Um trecho da reportagem: Bolt não hesita em sorrir, quase comovido, ao lembrar de Ricardo Geddes, o garoto que sistematicamente o vencia na pista improvisada num pedaço plano de gramado entre a estrada e a montanha da Waldensia. Com sua peculiar voz de barítono, diz a VEJA: “Sim, houve um tempo em que ele costumava me vencer. Acho, porém, que meu talento ainda estava dormente. Éramos amigos, muito amigos. Mas é difícil esquecer aquelas derrotas”. Geddes se tornou jogador de futebol. Vive nos Estados Unidos.”

A reportagem de VEJA esteve também na cidade natal de Bolt, Sherwood Content, com pouco mais de 2 000 habitantes, 100 quilômetros ao norte da capital, ponto de origem de um pequeno documentário em torno da carreira do velocista e sua relação com a história da Jamaica. São lembranças de um gênio do atletismo.

Veja aqui a reportagem de VEJA em 2016: https://veja.abril.com.br/esporte/a-jamaica-de-usain-bolt-como-nascem-os-campeoes/

Continua após a publicidade
Publicidade