Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Sobre Palavras Por Sérgio Rodrigues Este blog tira dúvidas dos leitores sobre o português falado no Brasil. Atualizado de segunda a sexta, foge do ranço professoral e persegue o equilíbrio entre o tradicional e o novo.

À socapa, quer dizer, na moita

O debate político sobre o sigilo me lembrou uma locução adverbial antiguinha e romântica que, embora ainda apareça de vez em quando na língua viva, sobretudo quando se quer dar ao texto um sabor de época, anda injustamente esquecida: “à socapa”. À socapa nasceu no século 16 e quer dizer às escondidas, sorrateiramente, de forma […]

Por Sérgio Rodrigues Atualizado em 31 jul 2020, 11h34 - Publicado em 21 jun 2011, 12h04

O debate político sobre o sigilo me lembrou uma locução adverbial antiguinha e romântica que, embora ainda apareça de vez em quando na língua viva, sobretudo quando se quer dar ao texto um sabor de época, anda injustamente esquecida: “à socapa”.

À socapa nasceu no século 16 e quer dizer às escondidas, sorrateiramente, de forma dissimulada ou sonsa, furtivamente, por baixo dos panos. Tem um sinônimo que talvez soe ainda mais antiquado – embora seja de fato mais recente, do século 18 – em “à sorrelfa”, de idêntico significado, e outro na atualíssima e informal expressão “na moita”.

O dado curioso é que socapa vem de “sob a capa”, o que basta para torná-la uma palavra datada: além de anacrônicos super-heróis, quem usa capa hoje em dia? Etimologicamente, isso basta para a socapa se sair melhor que a sorrelfa, que ninguém sabe de onde vem.

Às vezes a língua gosta de agir à socapa.

Continua após a publicidade
Publicidade