Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Marcos Pereira, enólogo, e os funcionários inconformados

Marcos Pereira comandou, ou permitiu, desmandos no INPI e Inmetro

Em 23 de março de 2017, o ministro Marcos Pereira (PRB), titular do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (MDIC), recebeu uma mensagem no whatsapp. “Tô t vendo aqui na televisão! No jornal nacional. Vamos combinar um vinho?” Era o empresário Joesley Batista. Combinaram para o dia seguinte. Tratava-se de acertar propina de R$ 700 mil. Dois meses depois, a troca de mensagens foi revelada, mas ninguém deu muita bola. O áudio de Joesley com Temer dominou a mídia.

Sete longos meses depois, o ministro pede demissão. Nada a ver, é claro, com sua conversa suspeita. O motivo é dedicar-se a organizar o PRB para as eleições de outubro e, quem sabe, sua própria candidatura para a Câmara dos Deputados.

Marcos Pereira foi um ministro apagado. No início do governo Temer, quase foi ministro do Turismo. Mas Henrique Eduardo Alves (PMDB) preferiu aquela pasta, pois permitiria destinar mais recursos para os municípios de sua preferência. No MDIC, Pereira nomeou os chefes do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) e do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).

Seu partido, o PRB, interferiu com gosto na administração desses dois órgãos. Os funcionários concursados ficaram revoltados. No INPI, há uma imensa briga sobre a possibilidade de o processo de avaliação de patentes ser, na prática, ignorado. Patentes seriam concedidas sem análise sob a desculpa de “normalizar” o ambiente de negócios do país. Os examinadores do INPI criaram página no Facebook para denunciar isto.

No Inmetro, pessoas indicadas por Pereira e seus asseclas oferecem aos funcionários a oportunidade de participar de esquemas de corrupção administrativa. Quando não topam, são substituídos. Se o ex-ministro sabe disso, é criminoso. Se não sabe, é incompetente.

Desejo a ele o pior ano eleitoral que se pode imaginar.

(Meu livro “Guerra à Corrupção: Lições da Lava Jato” está disponível aqui)

(Entre em contato pelo meu site pessoal, Facebook, Twitter e email)

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s