Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

As nomeações sorrateiras de Michel Temer

Arlon Viana e Gilda Cruz devem explicações à Justiça

Todo ex-presidente do Brasil tem direito a dois assessores pagos por nós. A Lei 7.474/1986 garante isso. Michel Temer (MDB), enroladíssimo com sete investigações, nomeou Arlon Viana Lima e Gilda Cruz Silva e Sanchez.

Ambos foram contratados, formalmente, pela Casa Civil da Presidência da República, chefiada hoje por Onxy Lorenzoni (DEM). Onyx assinou a nomeação, mas Arlon e Gilda responderão a Gustavo Bebbiano (PSL), secretário-geral da Presidência. Têm cargos DAS-5 (Direção e Assessoramento Superior), com salário de R$ 13 mil.

Ambos têm relações complicadas, no mínimo, com a Justiça.

Arlon é amigo de longa data do ex-presidente Temer. Tentou ser candidato a deputado estadual em 1998, mas desistiu no meio da campanha por falta de dinheiro. Já foi também secretário, tesoureiro e presidente do (P)MDB em São Paulo. Seu nome surgiu em casos sobre as reformas feitas nas casas de parentes de Temer. A filha, Maristela, e a sogra, Norma, teriam sido beneficiadas por reparos cuja responsabilidade era de Arlon. A Polícia Federal realizou um mandato de busca e apreensão em sua casa e encontrou documentos rasgados que poderiam ter informações sobre a reforma. (Vale ler a reportagem de Mariana Sanches sobre o assessor.)

Para a jornalista Andreia Sadi, Arlon afirmou: “Eu não me envolvi, não entreguei dinheiro. Se foi feito foi feito por lá. Não paguei nada. Estou tranquilo, deito e durmo. Toda essa movimentação que estou vendo me choca”.

Gilda Cruz foi, assim como Arlon, funcionária da Vice-Presidência em São Paulo antes de Temer assumir o principal cargo do país. Em 2013, Temer nomeou-a diretora da a Itapuã Investimentos e Participações, empresa encarregada de administrar parte dos bens pessoais do presidente. A Lei 8.112/1990 proíbe que servidores públicos participem de gestão de empresas privadas.

Quando procurada pelos repórteres Sílvio Navarro e Gabriel Castro, de Veja, a assessoria de Temer afirmou se tratar de um “lapso”.

Onyx destituiu todos as pessoas nomeadas para cargos de confiança na Casa Civil. Diz que fará um pente-fino, inclusive com entrevistas, para avaliar quem voltará ao trabalho. Arlon Viana e Gilda Cruz estão vinculados à Secretaria-Geral da Presidência, não à Casa Civil. Responderão formalmente a Bebbiano, mas trabalharão como assessores de Temer em São Paulo – e onde mais ele estiver.

Será que Onyx manterá os assessores suspeitos ou fará só o que chama de “despetização”? A ver.

(Entre em contato pelo meu site pessoal, Facebook e Twitter)

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s