Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Ricardo Rangel

Arthur Lira mostra onde está

O presidente da Câmara continua mais interessado no orçamento secreto do que na Constituição Federal

Por Ricardo Rangel 8 set 2021, 13h58

Arthur Lira fez seu pronunciamento.

Usou palavras fortes, com indiretas contra Bolsonaro, mas também acenou para os bolsonaristas, elogiando o comportamento pacífico durante as manifestações — não se incomodou com derrubada dos gradis no dia 6, as tentativas de invasão do Supremo no dia 7, a hostilização de jornalistas e a tentativa de invasão do Ministério da Saúde no dia 8 .

Também afirmou que caberá ao Congresso a pacificação entre o Executivo e o Judiciário, como se pacificação com um presidente golpista fosse possível, ou como se as posições de Bolsonaro e do Supremo fossem comparáveis ou respeitáveis.

Sobre os indiscutíveis atentados de Bolsonaro contra a democracia e o país, nem uma palavra. Nem muito menos aventou tomar as medidas constitucionais contra o inconstitucional presidente.

O lero-lero de Lira deixou claro que ele está onde sempre esteve: absolutamente parado.

Por enquanto, os 11 bilhões de orçamento secreto que ganhou de Bolsonaro para barrar o impeachment estão falando mais alto do que a Constituição e o Estado de Direito.

Continua após a publicidade
Publicidade