Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Tiririca não é o único aliado “sincero” de Mercadante

Tiririca, aquele que quer ser deputado federal para descobrir o que faz um deputado federal e para arrumar a situação de sua família, não é o único “homem sincero” na campanha do petista Aloizio Mercadante. Há outros, como Antonio Carlos Rodrigues, suplente de Marta Suplicy na disputa pelo Senado. A exemplo de Tiririca, ele também […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 14h24 - Publicado em 30 ago 2010, 16h55

Tiririca, aquele que quer ser deputado federal para descobrir o que faz um deputado federal e para arrumar a situação de sua família, não é o único “homem sincero” na campanha do petista Aloizio Mercadante. Há outros, como Antonio Carlos Rodrigues, suplente de Marta Suplicy na disputa pelo Senado. A exemplo de Tiririca, ele também conta tudo. Confessa ser ligado às empresas de ônibus e diz o que o futuro lhe reserva se o petista se eleger governador: “A minha expectativa é ser secretário de Transportes do Mercadante. Se acontecer, não poderá ser acusado de falta de conhecimento da área, não é mesmo. Segue entrevista a Evandro Spinelli, da Folha Online.

Candidato a suplente de Marta Suplicy (PT) no Senado, Antonio Carlos Rodrigues (PR) jura que não quer ser senador: diz que quer ser secretário dos Transportes do eventual governo de Aloizio Mercadante (PT).  Carlinhos, como é conhecido, tem forte ligação com o setor.

Em 2008, acusado de ligação com o mercado imobiliário, declarou irritado: “isso é mentira, todo mundo sabe que eu sou ligado às empresas de ônibus”.

O sr. vai ser senador?
De jeito nenhum.

Mas o sr. é suplente para eventualmente ser senador.
Eu não trabalho na hipótese do “se”. Isso é uma coisa da política. O meu partido precisava ter uma maior representatividade numa aliança. O meu foi o nome que foi escolhido pela [direção] nacional, mas, tenho certeza, sou candidato a vereador. Já tô em campanha.

Continua após a publicidade

Como o sr. vai ajudar a Marta como senadora?
Eu não vou ajudá-la. A nível de Senado, sou um suplente. Na hora que ela tiver necessidade de tirar licença ou de se afastar, eu estarei à disposição e me comportando exatamente como eu me comportei quando eu fui prefeito interino naquele período. A suplência é uma coisa muito delicada. Você tem que acompanhar o pensamento do titular.

O sr. chegou a ser indicado para o Ministério dos Transportes, quando assumiu o Alfredo Nascimento.
Lá atrás, houve essa indicação, mas o Lula nomeou na época somente os secretários-executivos. Eu tenho uma ligação com o PT, não vou esconder isso. O meu partido tem uma ligação. O meu partido tem há oito anos o Ministério dos Transportes. Eu apoiei a Marta, eu praticamente fui um líder do governo adjunto nos quatro anos que ela foi prefeita.

O sr. também é conhecido pela ligação com as empresas de ônibus.
Sou. Eu fui presidente da EMTU. Somos amigos. Como eu tenho uma ligação com o esporte também, fui secretário-adjunto de Esportes do Artur Alves Pinto.

O sr. não tem mesmo a expectativa de ser senador?
Nenhuma. Eu sou candidatíssimo a vereador. Minha maior esperança de tudo aí é ser secretário do Mercadante. Se tem uma coisa que eu tô querendo é ser secretário do Mercadante.

Para isso ele tem de ganhar a eleição, e tá atrás nas pesquisas.
É, mas hoje a minha expectativa é ser secretário de Transportes do Mercadante.

Continua após a publicidade
Publicidade