Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Por que Temer não pode nomear Luiz Carlos Martins Alves para a AGU

Representante da categoria deixa claro que candidato a um posto fundamental na República já se comprometeu com pauta corporativista

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 30 jul 2020, 22h46 - Publicado em 10 Maio 2016, 22h30

O que vocês lerão e ouvirão aqui é coisa grave, sim. E indica por que Michel Temer não pode nomear Luiz Carlos Martins Alves advogado-geral da União. José Eduardo Cardozo já passou o limite do tolerável. Precisamos de um nome que recupere a credibilidade do cargo.

Todos os leitores sabem que defendo o impeachment da presidente Dilma. Aliás, na grande imprensa, é fato, fui o primeiro a fazer essa defesa: em texto, no vídeo e no rádio. E, por óbvio, tenho claro que a Constituição tem de ser cumprida: Michel Temer assume a Presidência. E espero que até 31 de dezembro de 2018.

Sou menos cético sobre o futuro governo do que a larga maioria das pessoas que conheço. Sei das dificuldades, mas acho que o caráter lhano e conciliador de Temer contará a seu favor. Mas não pode, claro!, ser nem lhano nem conservador com os vícios da República, muito especialmente os da roubalheira e do corporativismo.

O sr. Luiz Carlos Martins Alves, procurador da Fazenda Nacional, é dado como nome certo para a Advocacia Geral da União. E, no entanto, a gravação abaixo prova que ele não pode ser nomeado. Ouçam.

[soundcloud url=”https://api.soundcloud.com/tracks/263488971″ params=”color=ff5500&auto_play=false&hide_related=false&show_comments=true&show_user=true&show_reposts=false” width=”100%” height=”166″ iframe=”true” /]

Segundo o representante da categoria, tudo dependeria, claro, da autorização de Temer. Claro que sim! Ocorre que é lamentável que um candidato a chefe da AGU resolva antes se comprometer com os interesses de sua categoria para só depois pensar no país.

Continua após a publicidade

É precisamente práticas como essa que o Michel Temer tem de começar a combater. Por isso, milhões foram às ruas. Queremos homens e mulheres de Estado que se comprometam com as demandas dos brasileiros, não de suas corporações.

Ah, sim: alguém gravou essa parte de uma conversa num almoço. Preservo o sigilo da fonte. Era, sim, uma conversa privada, mas que tratava de assunto público, que diz respeito a milhões de brasileiros.

Poderia esperar Temer nomear o doutor e depois publicar. Prefiro evitar o erro a ser crítico dele.

Que Michel Temer escolha alguém que tenha o Brasil como prioridade.

Outro dia alguém me perguntou se eu me tornaria um jornalista governista… Ora, é claro que sim: pretendo colaborar com o governo dando a minha opinião sincera e tentando impedir que faça asneiras.

Aliás, sempre fiz isso com a presidente Dilma. Ela preferiu ouvir os puxa-sacos e os blogs sujos.

Por isso estamos dando “tchau” à querida!

Continua após a publicidade
Publicidade