Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Os petralhas e os skinheads

Petralhas são analfabetos como chimpanzés. Mas aquele pequeníssimo percentual genético que os distingue dos primos lhes permite escrever, ainda que daquele jeito…, e articular um número limitado de vocábulos da inculta & bela. A Folha de hoje publica um texto informando que dois rapazes foram presos, em frente à Faculdade de Educação, colando os tais […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 10h08 - Publicado em 19 nov 2011, 18h32

Petralhas são analfabetos como chimpanzés. Mas aquele pequeníssimo percentual genético que os distingue dos primos lhes permite escrever, ainda que daquele jeito…, e articular um número limitado de vocábulos da inculta & bela. A Folha de hoje publica um texto informando que dois rapazes foram presos, em frente à Faculdade de Educação, colando os tais panfletos que incitam agressão a maconheiros, com a foto de Valdimir Herzog morto. Uma delegada afirma que eles pertencem a “grupos de intolerância”. E os petralhas? Leram o post anterior e estão cuinchando: “Tá vendo? Foram os neonazistas mesmo! E você acusando a esquerda!”

Tentem endireitar a coluna um tantinho e releiam o que escrevi.

Eu estou pouco me lixando para quem produziu aquele negócio asqueroso. Eu quero é que essa gente vá para a cadeia. Mantenho o que afirmei. Que se investigue direito. Esses idiotas truculentos que se identificam como “skinheads”, “neonazistas” ou o que seja são de tal sorte desinformados que não têm a menor noção de quem foi Herzog. A referência é absolutamente atípica.

O objeto do meu texto é outro. Eu estou afirmando — AFIRMANDO — que esse panfleto está sendo usado por picaretas para tentar identificar com a truculência neonazista aqueles que defendem a PM patrulhando o campus e que se opõem a invasões e greves. Não por acaso, o tal panfleto foi exibido por golpistas de extrema esquerda na assembléia da USP como coisa do campo adversário.

O material até pode ter sido produzido por skinheads. E daí? Muda o quê?  Está sendo usado pela extrema esquerda, nas redes sociais, para associar aquela indignidade aos que defendem o estado de direito e a democracia na USP.

DE NOVO:
– semelhantes a skinheads são aqueles que intimidam professores;
– semelhantes a skinheads são aqueles que intimidam alunos;
– semelhantes a skinheads são aqueles que fazem piquetes;
– semelhantes a skinheads são aqueles que impedem o direito de ir e vir;
– semelhantes a skinheads são invasores de prédios públicos com a cara coberta;
– semelhantes a skinheads são os milicianos de esquerda da USP;
– semelhantes a skinheads são aqueles que escrevem textos apoiando, ainda que de modo oblíquo, a violência.

Se eles forem neonazistas mesmo, ainda que neonazistas da desinformação, são primos morais e ideológicos da extrema esquerda que hoje infelicita as universidades brasileiras.  QUE TEM DE SER VENCIDA NO VOTO. Afinal, basta estudar um pouquinho para constatar que fascismo e comunismo têm em comum o ódio às liberdades individuais, o ódio ao liberalismo, o ódio ao mercado, o ódio à “ordem burguesa”, o ódio ao capitalismo.

Pronto, petralhas! Podem voltar à banana.

PS –  Vejam os filmes das assembléias da USP que estão por aí. Vi careca de coturno por lá, sim. Mas entre defensores da greve. Podem procurar que vocês acham. Fiz uma pesquisa na Internet e descobri que existe até um movimento skinhead de… extrema esquerda!

Continua após a publicidade

Publicidade