Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

O que o ministro Fux me diz deste conflito entre “deserdados” e “opulentos”?

Abaixo, exibo para o ministro Luiz Fux, que assumiu hoje a sua vaga no Supremo Tribunal Federal, um exemplo do que muitos acham um conflito entre os “deserdados” e os “opulentos”. O que vocês me dizem? Na Folha Online: Manifestantes ligados à Via Campesina e ao MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) bloquearam uma […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 12h39 - Publicado em 3 mar 2011, 21h56

Abaixo, exibo para o ministro Luiz Fux, que assumiu hoje a sua vaga no Supremo Tribunal Federal, um exemplo do que muitos acham um conflito entre os “deserdados” e os “opulentos”. O que vocês me dizem?

Na Folha Online:
Manifestantes ligados à Via Campesina e ao MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra) bloquearam uma rodovia em São Paulo e outra em Minas Gerais na manhã desta quinta-feira (3).

A BR-050, uma das principais ligações entre os Estados do Sudeste e o Distrito Federal, ficou fechada por três horas em Uberaba (MG).

Cerca de 90 mulheres, de acordo com a PRF (Polícia Rodoviária Federal), fecharam os dois sentidos da rodovia. O trânsito só foi liberado ao meio-dia, quando já havia mais de 6 km de congestionamento em cada sentido.

Os sem-terra também invadiram uma fazenda na região. Quando saíram da pista, as manifestantes arrancaram pés de soja de uma lavoura às margens da rodovia, de acordo com a PRF.

Maria do Rosário Pereira, que participou da manifestação, disse à Folha que o objetivo do movimento é alertar para o uso de agrotóxicos na região e lembrar o Dia Internacional da Mulher.

Em Cubatão, no litoral de São Paulo, 600 mulheres bloquearam por uma hora o trânsito na rodovia Cônego Domênico Rangoni. Na região estão localizadas diversas empresas produtoras de fertilizantes e defensivos agrícolas.

Ao longo da semana, grupos de mulheres ligadas à Via Campesina invadiram a sede do Incra em Recife (PE), uma unidade da Braskem no Rio Grande do Sul e uma fazenda na Bahia.

Continua após a publicidade
Publicidade