Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

O estatismo e o atraso da democracia

É claro que o ritual de humilhação a que Dilma submete o PDT expressa o espantoso atraso da democracia política no Brasil. É como se o Congresso fosse nada além de uma casa homologatória. Ou melhor: ele, com efeito, não passa disso, mas não deveria ser. E é por quê? O motivo essencial está explicitado […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 12h40 - Publicado em 2 mar 2011, 18h04

É claro que o ritual de humilhação a que Dilma submete o PDT expressa o espantoso atraso da democracia política no Brasil. É como se o Congresso fosse nada além de uma casa homologatória. Ou melhor: ele, com efeito, não passa disso, mas não deveria ser. E é por quê? O motivo essencial está explicitado no post abaixo. Até que o Estado brasileiro tenha o tamanho que tem, não existirá Congresso dono do próprio nariz — ou, melhor, obediente ao nariz dos eleitores.

Em suma: quanto mais estado, menos cidadão; quanto mais estado, “menas” vigilância! O “menas” é uma das homenagens que farei hoje a Emir Sader!

Ora, chega a ser engraçado ver os esquerdopatas a defender com unhas, dentes e cauda (Emir Sader escreveria “calda”) o gigantismo estatal em nome do povo. Ele tem servido, na verdade, para alijar o povo das decisões.

Publicidade