Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

O convite ao ministro-problema e os fatos

Como vocês leem abaixo, uma comissão do Senado aprovou um convite para o Ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, dar explicações sobre a lambança no seu ministério. Leiam o que informa Gabriela Guerreiro na Folha Online. Volto em seguida: A Comissão de Meio Ambiente, Fiscalização e Controle do Senado aprovou nesta terça-feira convite para o ministro […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 11h26 - Publicado em 5 jul 2011, 18h21

Como vocês leem abaixo, uma comissão do Senado aprovou um convite para o Ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, dar explicações sobre a lambança no seu ministério. Leiam o que informa Gabriela Guerreiro na Folha Online. Volto em seguida:

A Comissão de Meio Ambiente, Fiscalização e Controle do Senado aprovou nesta terça-feira convite para o ministro Alfredo Nascimento (Transportes) prestar depoimento para explicar as denúncias de superfaturamento em contratos e licitações da pasta e órgãos ligados ao ministério.

Também foram convidados a depor o diretor-afastado do Dnit, Luiz Antonio Pagot, o presidente afastado da Valec, José Francisco Neves e dois assessores de Nascimento –que também deixaram os cargos. Os convites são de autoria dos senadores Pedro Taques (PDT-MT) e Randolfe Rodrigues (PSOL-AP).

Paralelamente aos convites, a oposição protocolou na Comissão de Infraestrutura do Senado pedido de convocação de Nascimento. O líder do PSDB, senador Álvaro Dias (PR), disse que vai defender a aprovação da convocação se Nascimento não atender aos convites da Casa até quinta-feira – quando a comissão se reúne.

“Se o ministro vier antes de quinta como convidado, retiramos o requerimento de convocação. Se não vier, o requerimento pode ser aprovado. Como convocado ou convidado, o importante é que ele venha se explicar”, disse o tucano.

Ontem, em nota, Nascimento disse que está à disposição do Congresso para prestar as “explicações necessárias” sobre as denúncias na pasta. Deputados e senadores do PR, partido do ministro, também protolocaram convites para que ele venha depor no Congresso – numa estratégia para evitar a sua convocação.

O senador Blairo Maggi (PR-MT) protocolou hoje convites nas Comissões de Fiscalização e Infraestrutura do Senado para o ministro se explicar.

Continua após a publicidade

As suspeitas de corrupção no Ministério dos Transportes, no Dnit e na Valec incluem um esquema de superfaturamento de obras e recebimento de propina que beneficiaria o PR. O partido controla a pasta desde o governo Lula e é um dos principais aliados do governo.

No sábado, com a divulgação das denúncias pela revista “Veja”, quatro integrantes da cúpula do ministério foram afastados por determinação de Dilma. Apesar das acusações, Dilma decidiu manter Nascimento no cargo.

CPI

A oposição deu início nesta terá-feira à coleta de assinaturas para instalar CPI no Senado com o objetivo de investigar as denúncias de superfaturamento no Ministério dos Transportes, Dnit e Valec. Com minoria na Casa, os oposicionistas admitem que vão precisar do apoio de senadores da base governista para atingir o número mínimo de 27 assinaturas necessárias para que a CPI saia do papel.

“Já temos o apoio de alguns senadores dissidentes da base, como Pedro Taques e Ana Amélia. Vamos continuar a busca por assinaturas”, disse o líder do DEM, senador Demóstenes Torres (GO).

Comento

O convite para Alfredo Nascimento depor é um movimento combinado com o Palácio do Planalto. É uma última tentativa de salvar a cabeça do ministro, Dilma não quis afrontar o PR, demitindo-o. Caso Nascimento consiga dar explicações satisfatórias – e isso só acontecerá se as perguntas forem muito ruins -, sua sorte estará selada. Não restará à presidente alternativa que não seja a demissão. Intimamente, Dilma torce para Nascimento se estourar. O Ministério dos Transportes, como a própria presidente já admitiu; está fora de controle. Valdemar da Costa Neto, Secretário Geral do PR, admitiu em nota oficial que o partido realiza reuniões com a cúpula da pasta para cuidar de interesses da base. É a confissão de um escândalo.

Continua após a publicidade
Publicidade