Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Justiça nega pedido de Dirceu para ter prioridade na análise de oferta de emprego

Por Laryssa Borges, na VEJA.com: O juiz Vinícius Santos Silva, da Vara de Execuções Penais (VEP) do Distrito Federal, negou pedido do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu para que a avaliação da idoneidade de sua proposta de trabalho no hotel Saint Peter, em Brasília, fosse tratada com prioridade em relação aos demais detentos. Dirceu […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 04h52 - Publicado em 4 dez 2013, 19h43

Por Laryssa Borges, na VEJA.com:
O juiz Vinícius Santos Silva, da Vara de Execuções Penais (VEP) do Distrito Federal, negou pedido do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu para que a avaliação da idoneidade de sua proposta de trabalho no hotel Saint Peter, em Brasília, fosse tratada com prioridade em relação aos demais detentos. Dirceu alegava que a análise deveria ser acelerada porque ele tem mais de 60 anos de idade. Como o trabalho externo tem a função de ajudar na ressocialização do condenado, é realizado um estudo técnico preliminar sobre a idoneidade da proposta de emprego. Em sua decisão, o juiz afirma que as propostas de emprego para condenados já são tratadas com prioridade pela VEP, mas pondera que não pode haver prioridade também na elaboração dos estudos psicossociais preliminares. Com isso, Dirceu terá de esperar, na fila, a análise psicossocial antes de a VEP deliberar sobre o pedido de emprego.

“Todas as propostas particulares de emprego já são tratadas e conduzidas com absoluta prioridade por esse juízo e seus órgãos auxiliares, independente da condição etária ou de saúde”, disse o magistrado. “A proposta de emprego do ora sentenciado José Dirceu não é mais frágil e suscetível de perecimento que as demais que aguardam há mais tempo”, concluiu.

De acordo com reportagem do Jornal Nacional, da TV Globo, o presidente da Truston International Inc, empresa sediada no Panamá e sócia majoritária do hotel, é o panamenho José Eugênio Silva Ritter, que trabalha como auxiliar de escritório em uma advocacia chamada Morgan y Morgan. Segundo ministros do Supremo Tribunal Federal, essa nova informação será considerada pela Justiça na hora de definir se Dirceu pode ou não exercer a função de gerente administrativo do Saint Peter, cargo para o qual foi contratado com salário de 20 000 reais mensais. Não há prazo para a decisão da Vara de Execuções Penais.

Publicidade