Clique e assine com até 92% de desconto
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Conselho de Ética aprova cassação de Eduardo Cunha

Por 11 votos a 9, o relatório que analisa contas não declaradas pede a cassação do presidente afastado da Câmara e seguirá ao plenário, abrindo o processo de cassação

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 30 jul 2020, 22h30 - Publicado em 14 jun 2016, 20h00

O Conselho de Ética da Câmara dos Deputados votou hoje importante etapa no longo processo de cassação de Eduardo Cunha. Por 11 votos a 9, o colegiado recomendou a perda do mandato do presidente afastado da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Cunha deve tentar recurso à Comissão de Constituição e Justiça. O caso segue para votação no Plenário, em voto aberto, o que deve diminuir bem as chances de o presidente afastado da Casa manter o mandato parlamentar.

Segundo as declarações de voto dos deputados, o voto decisivo era de Tia Eron (PRB-BA), que evitou a imprensa por vários dias e chegou à faltar à sessão na semana passada. Ela derrubou as expectativas dos aliados de Cunha votando “sim” pelo relatório. Para surpresa ainda maior, outro dito aliado de Cunha, Wladimir Costa (SD-PA), que já havia feito discurso em favor do presidente afastado, logo após do voto de Tia Eron, aderiu ao voto do relator.

VEJA.com informa como votaram os deputados membros do Conselho:

Sim pela cassação: Paulo Azi (DEM-BA), Tia Eron (PRB-BA), Betinho Gomes (PSDB-PE), Júlio Delgado (PSB-MG), Wladimir Costa (SD-PA), Nelson Marchezan Júnior (PSDB-RS), Léo de Brito (PT-AC), Sandro Alex (PSD-PR), Marcos Rogério (DEM-RO), Zé Geraldo (PT-PA), Valmir Prascidelli (PT-SP).

Não: Alberto Filho (PMDB-MA), André Fufuca (PP-MA), Mauro Lopes (PMDB-MG), Nelson Meurer (PP-PR), Sérgio Moraes (PTB-RS), João Bacelar (PR-BA), Laerte Bessa (PR-DF), Wellington Roberto (PR-PB) e Washington Reis (PMDB-RJ).

Continua após a publicidade
Publicidade