Clique e assine com 88% de desconto
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Chefão da TVE-RS é diretamente ligado a Tarso Genro e a uma entidade que quer controlar a “mídia”

Deixem que lhes diga uma coisa. Alguns bobalhões sempre perdem um tempo danado achando que escrevo por arroubos. Lamento pelos errados! Eu escrevo por método. Publiquei aqui um post sobre o grupo “As Putinhas Aborteiras”, apresentado na TVE do Rio Grande do Sul. São aquelas moças de um grupo de “anarcofunk” que usaram o dinheiro dos […]

Por Reinaldo Azevedo - Atualizado em 14 fev 2017, 11h35 - Publicado em 13 maio 2014, 05h37

Diretor TVE-RS

Deixem que lhes diga uma coisa. Alguns bobalhões sempre perdem um tempo danado achando que escrevo por arroubos. Lamento pelos errados! Eu escrevo por método. Publiquei aqui um post sobre o grupo “As Putinhas Aborteiras”, apresentado na TVE do Rio Grande do Sul. São aquelas moças de um grupo de “anarcofunk” que usaram o dinheiro dos gaúchos para dizer que o “Amarildo se esconde debaixo do vestido do papa” e que convidaram a população ao vandalismo porque, segundo dizem, quem paga a conta é o patrão.

Chamei Tarso Genro, o governador do Estado, na chincha — ou na “cincha”, para os cultores do latino-gauchês castiço… E, claro!, alguns tentaram reagir: “Ah, mas como é que o governador sabe? Que responsabilidade ele tem?”. Tem toda.

Tarso escolheu pessoalmente o professor Pedro Luiz da Silveira Osório (foto) para comandar a Fundação Cultural Piratini, que tem as concessões da TVE e da Rádio FM Cultura. O cargo é ligado diretamente ao gabinete do governador. Militante petista conhecido, é professor de jornalismo da Unisinos e presidente do Conselho Deliberativo da Fundação desde 2008. Também é membro de uma dessas entidades que defendem o tal “controle social da mídia”, entenderam? Um tal Fórum Nacional pela Democratização das Comunicações (FNDC).

Publicidade

Aquelas moçoilas foram à TVE pregar o vandalismo — enquanto Tarso chamava os brigadianos para levar, coitados!, coquetel molotov na cabeça — com as bênçãos do Silveira Osório, escolhido a dedo para o cargo. Este senhor, aliás, na presidência do Conselho, infernizou o quanto pôde a vida da então governadora Yeda Crusius.

Pois é… Fico imaginando o que poderia acontecer se essa gente, um dia, viesse mesmo a controlar a mídia.

Publicidade