Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Álvaro Dias quer que Carvalho e Patriota se expliquem sobre complô para espionar e difamar Yoani Sánchez

O senador Alvaro dias (PSDB-PR) está entre os oposicionistas que honram o seu mandato. Quem quer que tenha votado nele sabia, certamente, que o PSDB perderia as eleições federais, mas insistiu na sua escolha. Vale dizer: quem sufragou o nome de Dias o queria para ser oposição. E o papel de um oposicionista, é evidente, […]

O senador Alvaro dias (PSDB-PR) está entre os oposicionistas que honram o seu mandato. Quem quer que tenha votado nele sabia, certamente, que o PSDB perderia as eleições federais, mas insistiu na sua escolha. Vale dizer: quem sufragou o nome de Dias o queria para ser oposição. E o papel de um oposicionista, é evidente, nem sempre é dizer “não” às propostas oficiais. Às vezes, é o caso de dizer “sim”. Mas cabe SEMPRE a um oposicionista vigiar o governo. Pela simples e óbvia razão de que os governistas, sócios do poder, não o farão. É fácil compreender esse papel quando se compreende a natureza da democracia. Bem, feita essa introdução, lá vamos nós.

Dias tomou providências para que os governos brasileiro e cubano se expliquem sobre o complô armado para espionar e difamar a blogueira cubana Yoani Sánchez. Leiam o que vai na VEJA.com:

Por Laryssa Borges:
O senador Alvaro Dias (PSDB-PR) protocolou nesta segunda-feira na Mesa Diretora do Senado requerimento para que os ministros Gilberto Carvalho (Secretaria-geral da Presidência) e Antonio Patriota (Relações Exteriores) prestem esclarecimentos aos parlamentares sobre a informação de que dirigentes partidários, integrantes do corpo diplomático e pelo menos um representante da Presidência da República participaram de uma negociação para desqualificar a blogueira cubana Yoani Sánchez. A informação foi dada por reportagem de VEJA desta semana.

O senador tucano também oficializou convite para que o embaixador cubano no Brasil, Carlos Zamora Rodríguez, esclareça a perseguição que emissários do governo de Raúl Castro pretendem fazer à ativista.

Reportagem de VEJA desta semana informou ainda que o conselheiro político da embaixada de Cuba em Brasília, Rafael Hidalgo, organizou uma reunião no dia 6 de fevereiro com militantes do PT, do PCdoB e integrantes da CUT para que fosse montada uma operação de desqualificação de Yoani Sánchez, que desembarcou no Brasil nesta segunda-feira. Entre os participantes do encontro estava Ricardo Poppi Martins, coordenador-geral de Novas Mídias da Secretaria-geral da Presidência e subordinado ao ministro Gilberto Carvalho.

A estratégia de desqualificação da ativista cubana, informada pelo embaixador Rodríguez na reunião, incluía uma ofensiva de “contrainformação” por meio da divulgação de um dossiê com dados distorcidos sobre a vida dela. Para sustentar a tese de que Yoani teria uma vida de luxo, os presentes à reunião receberam fotos em que ela é retratada bebendo cerveja, comendo banana ou tomando sol na praia. “Diferentemente de Cuba, o Brasil goza de uma plenitude democrática que se estende à liberdade de imprensa e, principalmente, de manifestação pública de todos os seus cidadãos”, disse Dias em seus requerimentos.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s