Clique e assine a partir de 9,90/mês
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

A matemática do estelionato eleitoral. Dá para contestar?

Eu também colaboro com o governo. Como? Lembrando o que foi prometido em campanha. Milhões de pessoas votaram acreditando que as promessas seriam cumpridas, certo? Zelo pela credibilidade da presidente Dilma. Fiz a conta pela última vez na terça-feira, dia 22. Naquele dia, Dilma deixou de entregar: – 10,5 quadras; – 5,42 creches; – 2,31 […]

Por Reinaldo Azevedo - Atualizado em 31 jul 2020, 12h41 - Publicado em 28 fev 2011, 19h29

Eu também colaboro com o governo. Como? Lembrando o que foi prometido em campanha. Milhões de pessoas votaram acreditando que as promessas seriam cumpridas, certo? Zelo pela credibilidade da presidente Dilma. Fiz a conta pela última vez na terça-feira, dia 22. Naquele dia, Dilma deixou de entregar:
– 10,5 quadras;
– 5,42 creches;
– 2,31 postos policiais;
– 6,95 Unidades Básicas de Saúde;
– 0,4 UPA

Por que isso? Porque, no programa da presidente, estão previstas, só neste ano, 3.288 quadras esportivas em escolas, 1.695 creches, 723 postos de policiamento comunitário, 2.174 Unidades Básicas de Saúde e 125 UPAs.

De terça até hoje, não se botou um miserável tijolo em nenhuma dessas obras. Como o dividendo de Dilma (as promessas) continua o mesmo, mas diminuiu o divisor (o número de dias para realizá-las), o que aumentou foi o quociente, que vem a ser justamente o estelionato eleitoral. Ao fim desta segunda, Dilma terá deixado de entregar só hoje:
– 10,92 quadras;
– 5,63 creches;
– 2,40 postos policiais;
– 7,22 Unidades Básicas de Saúde;
– 0,42 UPA

Como se obtém esse número? Dividindo-se as promessas feitas pela governante para este ano de 2011 pelo número de dias que ela tem para cumpri-las.  Trata-se de uma média.

Em dois meses, no acumulado do ano, Dilma já deixou de entregar:
– 531,59 das 3,288 quadras prometidas;
– 273,76 das 1.695 creches;
– 116,82 dos 723 postos de policiamento;
– 351,41 das 2.174 Unidades Básicas de Saúde;
– 20,21 das 125 UPAs

Como se obtém esse número? Dividindo-se as promessas para 2011 por 365 (dias do ano) e multiplicando-se por 59 — os dias já vividos pelo governo Dilma sem que um miserável tijolo tenha sido assentado.

Para encerrar: Dilma agora tem 1396 dias para entregar 2,8 milhões de casas — 800 mil do primeiro milhão, herança do mandato anterior, e mais 2 milhões prometidos para este mandato. Na terça passada, dava uma média de 1.988,63 casas/dia. Agora, já são 2.005,73. Em dois meses, já são 113.150 casas não-entregues, o que já é mais de 50% daquelas efetivamente entregues em mais de dois anos.

Continua após a publicidade

Quando se fazem promessas pantagruélicas, o estelionato é igualmente desmedido.

Publicidade