Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Servidores do Itamaraty reagem à contratação de não diplomatas

Governo prepara decreto que vai flexibilizar nomeação de auxiliares diretos de Ernesto Araújo, como revelou Radar

Por Evandro Éboli Atualizado em 15 jun 2020, 21h17 - Publicado em 15 jun 2020, 21h21

O Sindicato Nacional dos Servidores do Ministério das Relações Exteriores (Sinditamaraty) reagiu com críticas à iniciativa do governo em liberar a contratação de não diplomatas como assessores especiais do ministro Ernesto Araújo.

Na edição de VEJA que está nas bancas, o Radar revela as articulações de Araújo com a pasta de Paulo Guedes para derrubar as regras que proíbem a contratação de assessores fora da carreira diplomática.

“A admissão no Ministério das Relações Exteriores (MRE) de pessoas alheias às carreiras do Serviço Exterior Brasileiro (SEB) representaria atentado à própria política externa nacional, tradicionalmente formulada por quadros formados, treinados e qualificados nas melhores práticas de defesa dos interesses nacionais, em consonância com o papel do Brasil na comunidade internacional”, diz a nota do Sinditamaraty.

O sindicato criticou até mesmo a possibilidade de que o primeiro contratado seja o  executivo americano Gerald Brant, diretor de empresa nos EUA e muito próximo de Steve Bannon. Para os servidores, essa nomeação, caso se concretize, torna vulnerável a política exterior do Brasil.

“É falaciosa a alegação de que tal nomeação poderia ser útil ao ministério ao trazer pessoas de perfil técnico: nossos quadros têm amplo conhecimento técnico nas mais diversas áreas e, além disso, contam sempre, nas negociações de escopo internacional, com profissionais igualmente experientes de outras instâncias do serviço público”.

O sindicato foi criado 2009 e representa todos os servidores do quadro permanente do Itamaraty, integrado pelas carreiras de assistente de chancelaria, diplomata, oficial de chancelaria.

Continua após a publicidade
Publicidade