Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Senadores cobram Alcolumbre por atraso na sabatina de Mendonça

'Não cabe ao Senado interferir na indicação, não cabe ao Senado negociar nomes para a indicação', disse Alessandro Vieira

Por Robson Bonin 15 set 2021, 19h31

Alvaro Dias cobrou publicamente de Davi Alcolumbre, nesta quarta, a definição de uma data para a sabatina de André Mendonça ao STF.

Presidente, apenas uma indagação sobre se já há data definida para a sabatina do Dr. André Mendonça, indicado para o Supremo Tribunal Federal. Parece-me que há um dever a ser cumprido pelo Senado Federal, especialmente pela Comissão de Constituição e Justiça, e nós não podemos ser responsabilizados por um eventual impasse que venha a ocorrer no Supremo, com um empate de cinco a cinco, em determinadas circunstâncias. Acho que isso é do nosso dever. Independentemente da posição de cada um, favorável ou contrária à indicação, eu acho que a sabatina é do nosso dever. Por isso, eu falo em nome do meu partido, o Podemos, que, de forma consensual – está aqui o Senador Kajuru –, decidiu, em reunião de ontem, que iríamos apelar a V. Exa. para definir a data dessa sabatina, como um dever a ser cumprido por esta comissão“, disse Alvaro Dias.

Na sequência, o senador Alessandro Vieira exigiu que Alcolumbre apresentasse aos integrantes da CCJ os “elementos” que justificariam o atraso na sabatina.

“Solicito que V. Exa. expresse para esta comissão e para o Brasil quais são as razões republicanas para que se tenha o maior retardo da história na realização da sabatina do indicado. Faço questão de relembrar que a indicação de nomes para o Supremo é atribuição do Presidente da República. A atribuição do Senado é sabatinar esse nome e garantir que ele tenha os requisitos constitucionais para a ocupação do cargo. Não cabe ao Senado interferir na indicação, não cabe ao Senado negociar nomes para a indicação”, disse Vieira.

Diferentes senadores apoiaram as manifestações cobrando uma posição de Alcolumbre. Mas o chefe da CCJ desconversou.

Continua após a publicidade
Publicidade