Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Secretaria do Esporte sofre com estrutura desfalcada e cargos vagos

Nomeação do novo secretário, padrinho de casamento de Flávio Bolsonaro, completa dois meses dia 28

Por Mariana Muniz Atualizado em 20 abr 2020, 20h45 - Publicado em 20 abr 2020, 10h20

A Secretaria Especial do Esporte, aquela para a qual foi nomeado o padrinho de casamento de Flávio Bolsonaro, sofre com a míngua em sua estrutura.

A nomeação de Marcelo Magalhães – que caiu muito mal na ala militar do governo, já que seu antecessor pertencia à caserna – completa dois meses no próximo dia 28 com várias diretorias desfalcadas.

Até agora, nove cargos da cúpula da secretaria não foram preenchidos, como o de Secretário Especial Adjunto e o Departamento de Incentivo e Fomento ao Esporte.

ASSINE VEJA

Covid-19: Sem Mandetta, Bolsonaro faz mudança de risco nos planos A perigosa nova direção do governo no combate ao coronavírus, as lições dos recuperados e o corrida por testes. Leia na edição desta semana.
Clique e Assine

A Secretaria está abrigada no Ministério da Cidadania, de Onyx Lorenzoni.

Ao Radar, a assessoria da Secretaria do Esporte enviou a seguinte nota: “O diretor do Departamento de Incentivo e Fomento ao Esporte da Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania, Leonardo da Cunha de Mendonça Castro, foi nomeado no dia 20 de março. Já o secretário especial adjunto, André Barbosa Alves, foi nomeado no dia 17 do mês passado”. 

Continua após a publicidade

Publicidade