Clique e assine com até 92% de desconto
Radar Por Gabriel Mascarenhas (interino) Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Radar TVeja: Para desmentir ‘acordão’, Temer quer Ayres Britto na Justiça

Diante da disseminação da suspeita de que o apoio de políticos envolvidos no petrolão, como Eduardo Cunha, tenham patrocinado o impeachment à espera de que promova um acordão quando assumir, Michel Temer tem sido aconselhado a fazer gestos que deixem claro que tudo não passa de teoria da conspiração. Assim, a disposição do vice é […]

Por Da Redação Atualizado em 30 jul 2020, 22h56 - Publicado em 21 abr 2016, 10h03

http://videos.abril.com.br/veja/id/d36199797995962ab71ab1f05ec31e34?

Diante da disseminação da suspeita de que o apoio de políticos envolvidos no petrolão, como Eduardo Cunha, tenham patrocinado o impeachment à espera de que promova um acordão quando assumir, Michel Temer tem sido aconselhado a fazer gestos que deixem claro que tudo não passa de teoria da conspiração.

Assim, a disposição do vice é nomear para o Ministério da Justiça, uma das pastas mais nevrálgicas do governo, juntamente com a Fazenda, alguém que não tenha atuado na Lava-Jato.

Por esse critério, criminalistas próximos a Temer estariam excluídos, inclusive Nelson Jobim e Antonio Mariz de Oliveira.

O sonho de Temer é ter no comando da pasta o ex-presidente do STF Carlos Ayres Britto. Consagrado pela maneira firme com que conduziu o início do julgamento do mensalão, Ayres é próximo de Temer.

O único empecilho para que ele aceitasse o convite, que virá, é financeiro: o ex-ministro tem uma bem-sucedida banca de parecerista jurídico.

Caso Ayres não aceite, o plano B é alguém na mesma linha. O também ex-ministro do Supremo e também Carlos, Carlos Velloso, figura na lista de opções.

Continua após a publicidade
Publicidade