Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Radar TVeja: Dilma faz cerimônia prévia do adeus

Dilma Rousseff fez nesta terça-feira seu mais desesperado discurso desde que o impeachment entrou oficialmente na pauta. Num evento oficial no Palácio do Planalto, Dilma acusou abertamente o vice, Michel temer, de recorrer à farsa do suposto vazamento da gravação em que ele se manifesta sobre seu possível afastamento e de ser o líder de […]

Por Da Redação Atualizado em 30 jul 2020, 23h02 - Publicado em 12 abr 2016, 20h40

http://videos.abril.com.br/veja/id/b84a542fe850ec02dadfbaf6896d93dc?

Dilma Rousseff fez nesta terça-feira seu mais desesperado discurso desde que o impeachment entrou oficialmente na pauta.

Num evento oficial no Palácio do Planalto, Dilma acusou abertamente o vice, Michel temer, de recorrer à farsa do suposto vazamento da gravação em que ele se manifesta sobre seu possível afastamento e de ser o líder de uma conspiração para apeá-la do poder.

Dilma já não tenta disfarçar que governa, ou que faz alguma outra coisa a não ser vociferar contra o impeachment e tentar tapar os rombos cada vez maiores e mais numerosos no casco do navio do qual ainda é a timoneira.

Nesta terça, depois da derrota do governo na comissão de impeachment, os partidos começaram a disputar os últimos botes salva-vidas.

O presidente do PP, Ciro Nogueira, jogou a toalha e assistiu à debandada do partido, o mais parrudo entre aqueles que Dilma esperava conquistar com a liquidação de verbas e cargos. Devem restar pouco mais de 5 dos 47 votos a favor da presidente, reconhece o próprio Nogueira.

No PR o ministro dos Transportes, Antonio Carlos Rodrigues, diz que vai com Dilma até o fim, nem que seja o último a apagar a luz. Na bancada, no entanto, as defecções aumentam. O próprio ex-líder, Maurício Quintella, aderiu ao impeachment e foi destituído.

Por fim, o PSD de Gilberto Kassab também decidiu contabilizar os votos nesta terça: haveria pelo menos 20 dos 34 deputados favoráveis ao impeachment.

Diante da erosão acelerada, o governo teme a escalada dos votos pró=impeachment até domingo. Eduardo Cunha já preparou o roteiro, as TVs vão cobrir ao vivo e os lugares na Esplanada, com o muro no meio, já estão reservados.

Continua após a publicidade

Publicidade