Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Prevendo impeachment, HSBC recomenda exposição a ações no Brasil

A expectativa de troca de governo levou o HSBC a elevar sua recomendação para o mercado acionário brasileiro e passar a recomendar a exposição aos papéis do país na América Latina, em substituição ao México. “Uma mudança poderia criar um ambiente no qual as reformas fiscais ganhariam apoio político, endereçando, portanto, alguns dos atuais desequilíbrios […]

Por Da Redação Atualizado em 30 jul 2020, 23h12 - Publicado em 22 mar 2016, 08h02
Impeachment na conta

Impeachment na conta

A expectativa de troca de governo levou o HSBC a elevar sua recomendação para o mercado acionário brasileiro e passar a recomendar a exposição aos papéis do país na América Latina, em substituição ao México.

“Uma mudança poderia criar um ambiente no qual as reformas fiscais ganhariam apoio político, endereçando, portanto, alguns dos atuais desequilíbrios da economia”, ponderou a equipe do banco em relatório.

Sem Dilma e com a política econômica de volta aos eixos, os analistas veem um potencial de valorização de até 30% na cotação em dólar do índice MSCI Brazil, bastante utilizado por investidores estrangeiros.

Ainda nesse cenário, a expectativa é que o dólar ceda para a casa dos 3,50, valor anterior a julho de 2015, quando teve início a forte deterioração nas previsões para as contas do governo.

 

Continua após a publicidade
Publicidade