Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Pressão aumenta, e Witzel tem fila de cinco pedidos de impeachment

Oposição apresentou dois novos pedidos contra o governador do Rio, investigado pela PGR

Por Mariana Muniz - 27 May 2020, 12h44

Um dia após a PF colocar nas ruas uma operação contra Wilson Witzel, a pressão para que a Assembleia Legislativa do Rio dê encaminhamentos aos pedidos de impeachment contra o governador só aumenta. O número de requerimentos formulados pelos deputados estaduais chegou a cinco.

Dois novos pedidos de impeachment foram protocolados na manhã desta quarta-feira. Um pela bancada bolsonarista, formada pelos deputados Alana Passos, Anderson Moraes, Filippe Poupel, Dr. Serginho, Coronel Salema e Renato Zaca, e outro pelo deputado Luiz Paulo.

Nos bastidores da Alerj, a informação é de que a operação criou o clima perfeito para a abertura do procedimento, defendido pela oposição do governo desde fevereiro, quando Witzel passou a ser acusado de instalar um sistema de arapongagem na Casa.

Agora, a justificativa dada pelos parlamentares é o suposto escândalo envolvendo a contratação de empresas para a construção de hospitais de campanha durante a pandemia do coronavírus. Segundo os parlamentares, “tanto as contratações quanto os recebimentos de valores oriundos das fraudes nestas eram organizados e percebidos por agentes escolhidos pelo Governador e alocados no Executivo”.

Continua após a publicidade

A decisão está nas mãos do presidente da Casa, André Ceciliano, que tem pela frente, além da pressão da oposição, o desgaste provocado por um governador investigado.

Publicidade