Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Preso e doente, Maluf foi a menos da metade das sessões na Câmara

Ele alegou necessidade de tratamento de saúde para faltar a 56 reuniões na Casa

Por Gabriel Mascarenhas Atualizado em 26 dez 2017, 18h55 - Publicado em 26 dez 2017, 15h01

A defesa de Paulo Maluf encontrará nos registros da Câmara um álibi para tentar conseguir que ele cumpra prisão domiciliar.

Os advogados da excelência, presa na semana passada, alegam que o cliente sofre de câncer de próstata e problemas cardíacos.

Em 2017, Maluf compareceu a apenas 52 das 119 sessões do plenário da Câmara, ou seja, 43,7% do total.

A maior parte das ausências, 56 delas, foram justificadas por pedidos de licença para tratamento de saúde.

Em outras 11 sessões em que o deputado não deu as caras, porém, não houve qualquer justificativa para a falta.

Continua após a publicidade
Publicidade