Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Picciani só pautará socorro ao Rio se Pezão pagar salários

Mesmo sem Alerj ter aprovado privatização da Cedae, governador pediu ao correligionário para botar em votação aumento da contribuição previdenciária

Por Gabriel Mascarenhas 15 fev 2017, 07h29

Luiz Fernando Pezão anda pedindo a Jorge Picciani para pautar o quanto antes o aumento da contribuição previdenciária do funcionalismo público estadual, de 11% para 14%.

Isso porque a Alerj sequer votou a proposta de privatização da Cedae, que servirá como garantia ao socorro financeiro que a União dará ao Rio de Janeiro.

Picciani nem responde aos apelos do governador. Ele já decidiu, inclusive, que só levará ao plenário o aumento da contribuição previdenciária se e quando Pezão pagar os salários atrasados dos servidores fluminenses.

Publicidade