Clique e assine a partir de 8,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

PF deflagra operação contra fraudes em contratos de Saúde em Roraima

Agentes cumprem 36 mandados de busca e apreensão em oito estados e no Distrito Federal; desvios chegam a 50 milhões de reais

Por Robson Bonin - Atualizado em 13 ago 2020, 12h52 - Publicado em 13 ago 2020, 07h46

A Polícia Federal cumpre nesta quinta 36 mandados de busca e apreensão contra investigados por atuação em um esquema de corrupção em contratos de Saúde — aquisição de insumos médico-hospitalares básicos, respiradores, testes rápidos, material informativo impresso e leitos em hospitais particulares — no governo de Antonio Denarium em Roraima.

A gestão de Denarium, aliado de Jair Bolsonaro, teria desviado 50 milhões de reais em licitações emergenciais na pandemia de coronavírus.

Mais de 150 policiais federais, com apoio de servidores da Controladoria-Geral da União, cumprem as ordens. Os mandados foram expedidos pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região.

As investigações miram um ex-secretário de Saúde de Roraima, que teria atuado com um deputado estadual para direcionar contratações a empresas integrantes do esquema, inclusive promovendo o rateio de percentuais. Um ex-deputado estadual também atuaria na organização.

ATUALIZAÇÃO, 12h50. A seguinte nota foi enviada ao Radar:

“O Governo de Roraima esclarece que em maio de 2020, o governador Antonio Denarium exonerou vários servidores e o então secretário de Saúde, Francisco Monteiro Neto após constatar indícios de irregularidades na gestão na Sesau.

A denúncia foi encaminhada pelo Governo aos órgãos controladores do Estado, a exemplo da Controladoria-Geral do Estado e Tribunal de Contas, para providências.

Em ato contínuo, o governo ingressou na Justiça cobrando a devolução do valor de R$ 6 milhões pagos à empresa pela compra de respiradores e obteve decisão favorável.

O Governo de Roraima está à disposição da Polícia Federal para colaborar com as investigações”.

Continua após a publicidade
Publicidade