Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

O plano do PT para amarrar Bolsonaro na rede da CPI da Covid-19

Partido vem cruzando datas, dados do orçamento e falas do presidente para mostrar suas digitais na tragédia da pandemia

Por Robson Bonin Atualizado em 1 Maio 2021, 11h58 - Publicado em 3 Maio 2021, 06h01

Liderado pelo senador pernambucano Humberto Costa, o PT já desenhou o plano para levar a CPI da Covid-19 até Jair Bolsonaro.

Costa, que foi ministro da Saúde e tem na sua equipe o também ex-ministro da área Arthur Chioro, estabeleceu uma relação entre as liberações de verba do governo para combater a pandemia e o comportamento de Bolsonaro no Planalto.

Esse cruzamento apontou fenômenos que complicam a situação do presidente. Ele mostra, por exemplo, que enquanto Bolsonaro esteve no “modo gripezinha”, fazendo piada do vírus e esnobando alertas, o dinheiro na Saúde seguiu travado.

Para os petistas, o atraso na liberação de verbas, que só começou a jorrar com vigor a partir de agosto de 2020, contribuiu para o agravamento da crise e o avanço das mortes, já que o governo demorou a se preparar e a socorrer estados e municípios.

Se um ministro como o chefe da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, precisa tomar vacina escondido para não desagradar ao presidente, imagine o chefe da Saúde tendo que segurar dinheiro para não contrariar Bolsonaro, que naquele período atacava abertamente governadores e prefeitos. É essa constatação que deve levar o presidente a responder na CPI.

Continua após a publicidade
Publicidade