Clique e assine com até 92% de desconto
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

O novo alvo ideológico de Damares e sua turma: a cannabis medicinal

Ministra ataca texto do relator que prevê plantio para remédio: "Não querem o uso medicinal, querem plantação em massa" 

Por Evandro Éboli Atualizado em 25 ago 2020, 11h17 - Publicado em 24 ago 2020, 11h31

Após o episódio da interrupção da gravidez da menina de 10 anos que foi estuprada – Damares Alves não apoiou essa intervenção, ao contrário – a ministra, seu grupo ideológico e sua turma no Ministério da Mulher da Família e dos Direitos Humanos escolheram novo alvo para atacar: o plantio da cannabis para a produção do canabidiol medicinal.

Numa live, Damares atacou o texto do deputado Luciano Ducci (PSB-PR),  relator do assunto na comissão especial da Câmara. Ele apresentou seu relatório há alguns dias e já é alvo de duras críticas do governo, que sempre atuou contra o plantio para produção do remédio.

Ao lado de deputados ligados a bancadas evangélica e católica, além da presença do deputado Osmar Terra (MDB-RS) – principal opositor na Câmara a essa ideia – a ministra afirmou saber o que “está por trás” desse projeto.

“Não é uso medicinal coisa nenhuma. Temos que cuidar das nossas crianças sem liberar a plantação no Brasil. Quero o melhor, mas que não seja a plantação em massa. Sei exatamente o que está por trás. Não é o uso medicinal”

Essa posição da ministra não é nova, mas agora autorizou o uso de seu nome o tempo todo na campanha contra o projeto do relator e que será votado na comissão especial, presidida pelo petista Paulo Teixeira (SP).

“Usem o meu nome o tempo todo. Todos estão autorizados a usar meu nome em imagem de cartaz, em panfleto, em vídeo. Não vou me silenciar. Não tenho medo desse tema. Não me acovardo, não faço concessão. Não dou um passo atrás. E nem negocio. Contem comigo em toda luta”, disse Damares.

ASSINE VEJA

Aborto: por que o Brasil está tão atrasado nesse debate Leia nesta edição: as discussões sobre o aborto no Brasil, os áudios inéditos da mulher de Queiroz e as novas revelações de Cabral
Clique e Assine
Continua após a publicidade
Publicidade