Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

O “arquivo-bomba” da Monte Carlo

Delegado da Polícia Federal por profissão, o deputado Fernando Francischini resolveu se debruçar sobre o que considera ser o “arquivo-bomba” da Operação Monte Carlo. Segundo Francischini, os agentes federais reuniram em um arquivo batizado de “@PLX” todos os grampos que citam políticos envolvidos com o bicheiro Carlinhos Cachoeira. Quantos grampos desta natureza existem no inquérito […]

Por Da Redação Atualizado em 31 jul 2020, 08h53 - Publicado em 10 Maio 2012, 13h04

O arquivo dos políticos na operação

Delegado da Polícia Federal por profissão, o deputado Fernando Francischini resolveu se debruçar sobre o que considera ser o “arquivo-bomba” da Operação Monte Carlo.

Segundo Francischini, os agentes federais reuniram em um arquivo batizado de “@PLX” todos os grampos que citam políticos envolvidos com o bicheiro Carlinhos Cachoeira. Quantos grampos desta natureza existem no inquérito da Operação Monte Carlo? Simplesmente 3 753 ligações telefônicas citando políticos.

Francischini diz que o termo “@PLX” é uma forma de indexador de informações da PF para facilitar a pesquisa de grampos nos arquivos do Guardião. Diz Francischini:

— Reunindo todos os grampos “@PLX” nós chegaremos inclusive a escutas ainda não reveladas sobre um número incerto de políticos envolvidos com o Cachoeira.

Continua após a publicidade
Publicidade