Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Notícias procuram ‘arranhar imparcialidade’ de Moro, diz Gebran a Lula

Relator lembra que a condenação de Lula, no caso do Sítio de Atibaia, foi proferida pela juíza Gabriela Hardt -- não pelo ex-juiz

Por Robson Bonin - Atualizado em 3 Sep 2019, 19h44 - Publicado em 3 Sep 2019, 17h24

Sem citar o nome de Sergio Moro, o desembargador Gebran Neto, relator da Lava-Jato no Tribunal Regional Federal da 4ª Região, sai em defesa do ex-juiz ao negar a Lula acesso aos dados roubados por hackers do Telegram de Deltan Dallagnol. Ele afirma que as notícias publicadas pelos veículos de imprensa, a partir das mensagens roubadas, buscam ‘arranhar” imparcialidade do ex-juiz.

A afirmação aparece no momento em que Gebran lembra que a condenação de Lula, no caso do Sítio de Atibaia, foi proferida pela juíza Gabriela Hardt.

“Por derradeiro, deve ser assinalado que a sentença, cujas apelações pendem de exame nesta Corte, não foi proferida pelo magistrado cuja imparcialidade se procurar arranhar nas notícias jornalísticas, bem como que o exame que se fará decorre recai sobre os argumentos da partes e sobre as provas que estão encartadas nos autos, e não sobre pretensos diálogos interceptados ilegalmente que em nada contribuem para o deslinde do feito”, afirma.

Divulgação/Divulgação
Publicidade