Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

No ataque

Dilma Rousseff abrigou Marcelo Crivella para fazer um agrado aos evangélicos e aplacar qualquer possibilidade de oposição a Fernando Haddad nas eleições de outubro, certo? Sim, mas Eduardo Cunha, um dos expoentes da bancada evangélica, diz que não é bem assim. Em sucessivos posts em seu Twitter, Cunha manda brasa. Eis alguns exemplos: – O […]

Por Da Redação Atualizado em 31 jul 2020, 09h26 - Publicado em 1 mar 2012, 14h28

Cunha: no ataque

Dilma Rousseff abrigou Marcelo Crivella para fazer um agrado aos evangélicos e aplacar qualquer possibilidade de oposição a Fernando Haddad nas eleições de outubro, certo?

Sim, mas Eduardo Cunha, um dos expoentes da bancada evangélica, diz que não é bem assim. Em sucessivos posts em seu Twitter, Cunha manda brasa. Eis alguns exemplos:

– O Crivella não representa a bancada evangélica e nem o cargo dele tem nada a ver com evangélicos.Ele representa o partido dele.

– Achar que evangélicos vão ficar satisfeitos porque têm um deles no governo comandando o inexpressivo Ministério da Pesca é risível.

– Quanto aos evangélicos, agradaria muito mais que um governo não tivesse a abortista ministra como responsável pelo debate sobre aborto. E agradaria também que um ministério não tivesse editado um kit gay.

 

Continua após a publicidade
Publicidade