Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

‘Não há espaço para erros nem experimentos’, dizem secretários sobre MEC

Conselho Nacional de Secretários de Educação pede que próximo ministro tenha perfil técnico

Por Mariana Muniz - 30 Jun 2020, 19h56

Diante das informações de que o cargo de ministro da Educação continua vago, o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) emitiu uma nota em que destaca o perfil técnico que um novo nome deve apresentar.

Segundo os secretários, não há mais espaço “para erros nem experimentos” no MEC. Anunciado como sucessor de Abraham Weintraub na última quinta-feira, Carlos Decotelli entregou uma carta de demissão a Jair Bolsonaro nesta terça após uma sucessão de desmentidos a respeito de seu currículo.

“O Conselho Nacional de Secretários de Educação espera que o nome a ser escolhido para o MEC seja de bom diálogo e com capacidade de gestão, apto a conduzir a Educação Brasileira de forma sintonizada com os anseios da sociedade”, afirma a entidade.

Os secretários continuam: “Mais do que nunca, após um ano e meio de espera por resultados que não chegam, o critério técnico deve prevalecer nessa escolha”. O relacionamento do Consed com o MEC tem sido delicado nos últimos tempos.

Publicidade