Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Na mira da CPI, Osmar Terra comparou pandemia a ‘gripe de inverno’

Em abril de 2020, o deputado disse que a Covid-19 'não matará mais do que a gripe de inverno'; país tinha 1.200 mortes naqueles dias

Por Robson Bonin Atualizado em 22 jun 2021, 09h41 - Publicado em 22 jun 2021, 08h10

A CPI da Pandemia vai receber nesta terça uma das figuras mais conhecidas do negacionismo bolsonarista nessa tragédia que já matou mais de 500.000 brasileiros.

O deputado gaúcho Osmar Terra, ex-ministro da Cidadania e aliado de primeira hora do presidente, tornou-se conhecido na pandemia pelas previsões irreais sobre o avanço do vírus no país.

Em abril do ano passado, quando o ministro da Saúde ainda era Luiz Henrique Mandetta, o deputado falou ao jornal argentino Clarín. Bateu na política de isolamento e cravou que a Covid-19 não mataria mai “do que uma gripe de inverno”. Naqueles dias, eram 1.200 os brasileiros mortos pela pandemia.

LEIA TAMBÉM: O conselheiro de Bolsonaro que previu menos de 2 mortes por dia no Brasil

“Igual ou semelhante ao do H1N1. No ano passado, houve 800 mortes por H1N1 no Brasil e não fechamos nada. Se forem adicionados, desde 2009, existem cerca de 4.000 mortes. O coronavírus não será mais do que isso”, disse Terra.

Além de se preparar para falar na CPI, Terra não só reforçará seu lado negacionista como usará a visibilidade da comissão para seu palanque estadual. O deputado é cotado para disputar o governo do Rio Grande do Sul, estado onde o bolsonarismo ainda é competitivo eleitoralmente.

Médico de formação e parlamentar com alguma experiência, o emedebista dará trabalho aos senadores que irão sabatiná-lo.

Continua após a publicidade
Publicidade