Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Mourão entrou para lista de inimigos de Bolsonaro, diz ministro

'Não me preocupo com isso. Não conspiro. Minha agenda é clara', diz o vice-presidente sobre o risco de ser espionado pelo próprio governo

Por Robson Bonin Atualizado em 19 ago 2021, 17h04 - Publicado em 20 ago 2021, 07h15

Depois da conversa com Luís Roberto Barroso, o vice-presidente, Hamilton Mourão, entrou de vez na lista de “ameaças” ao presidente. “Se alguém que você conhece visita um inimigo seu, o que ele vira para você?”, indaga um ministro fiel a Bolsonaro.

Virar “inimigo”, no caso de Mourão, é ter ainda mais risco de sofrer com arapongas do palácio, riscos de grampos e outros meios de espionagem. Mourão, no entanto, não se abala: “Não me preocupo com isso. Não conspiro. Minha agenda é clara”.

Publicidade