Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Itamaraty remove diplomatas e começa a fechar postos na Venezuela 

Sem obrigação da reciprocidade, diplomatas venezuelanos aqui podem ter que deixar o Brasil

Por Evandro Éboli - Atualizado em 5 mar 2020, 14h02 - Publicado em 5 mar 2020, 13h01

O governo brasileiro coloca em prática o desmonte da rede consular na Venezuela, num gesto de distanciamento da gestão de Nicolás Maduro. Como revelado por Radar, o Itamaraty irá reduzir quase a zero os cinco postos diplomáticos no país vizinho.

O ministro Ernesto Araújo publicou nesta quinta três portarias removendo três diplomatas da Venezuela e os retornando para o Brasil: a ministra de primeira classe Elza Marcelino de Castro, do consulado-geral em Caracas; o conselheiro Francisco Chaves do Nascimento Filho, do consulado brasileiro em Ciudad Guayana; e o conselheiro Carlos Leopoldo Gonçalves de Oliveira, da embaixada em Caracas.

Todos os três serão alocados na Secretaria de Estado, que fica em Brasília.

O Itamaraty avalia contratar uma empresa de segurança para cuidados com a embaixada em Caracas.

Continua após a publicidade

Sem a obrigação da reciprocidade, diplomatas venezuelanos lotados no Brasil podem ser obrigados a deixar o país. Ou até mesmo adotarem medidas semelhantes e fechar aqui a representação venezuelana.

Publicidade