Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Investimentos para pessoas físicas

Guilherme Afif Domingos quer lançar uma nova modalidade de financiamento para trabalhadores que desejam se tornar micro-empresários. A ideia do ministro, que tem tudo para levar o sistema bancário à loucura, é criar a figura do micro-investidor local. Trata-se de um projeto para abrir a possibilidade de que pessoas físicas possam usar suas economias para […]

Por Da Redação Atualizado em 31 jul 2020, 05h11 - Publicado em 14 out 2013, 13h31
De olho no aumento da concorrência

De olho no aumento da concorrência

Guilherme Afif Domingos quer lançar uma nova modalidade de financiamento para trabalhadores que desejam se tornar micro-empresários. A ideia do ministro, que tem tudo para levar o sistema bancário à loucura, é criar a figura do micro-investidor local.

Trata-se de um projeto para abrir a possibilidade de que pessoas físicas possam usar suas economias para investir na força de trabalho da turma que planeja abrir o próprio negócio. O investidor deverá ser cadastrado pelo Estado e obrigatoriamente injetar recursos em alguém do próprio município.

As condições do empréstimo – juros e prazo de pagamento, por exemplo – serão acertadas diretamente entre as partes interessadas, caso a caso. Mas e o risco de quem banca? Afif argumenta:

– Risco tem preço, e esse preço estará embutido no financiamento. Esse mercado vai se auto-regular e todo mundo ganhará. O cara que investe poderá ter uma rentabilidade superior às disponíveis na praça, e o empreendedor poderá barganhar juros inferiores aos oferecidos pelos bancos. O plano é “desintermediar” a operação e aumentar a concorrência.

Continua após a publicidade
Publicidade