Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.
Conteúdo para assinantes

Integrante da cúpula do INSS entra na mira de facções bolsonaristas

Chefe do Serviço Social doou 100 reais a Marcelo Freixo, em 2016; nas redes, é chamado de "petista travestido de gestor"

Por Robson Bonin - Atualizado em 17 Jun 2019, 13h20 - Publicado em 17 Jun 2019, 13h17

A caçada de Jair Bolsonaro a “petistas” ou “sindicalistas” no governo tem movimentado facções do funcionalismo. No INSS, por exemplo, a bola da vez seria o novo chefe do Serviço Social do órgão, Jorge Og.

Ele aparece em um vídeo, durante uma fala no Senado — sem data específica –, dizendo esperar “que a reforma da Previdência não seja aprovada”. Og bate na “lógica de mercado de privilegiar cortes em detrimento de direitos” e denuncia o “desmonte do serviço social e da reabilitação profissional”.

Nas eleições de 2016, Og doou 100 reais para a campanha de Marcelo Freixo (PSOL), no Rio. Pouco, mas o suficiente para receber o rótulo de “petistas travestido de gestor” no meio bolsonarista do INSS e entrar no paredão da patrulha.

Reprodução/Reprodução
Publicidade