Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Governo vai cortar ponto de professores em greve

Ministério do Planejamento quer cortar o ponto de quem faltar

O Ministério do Planejamento vai endurecer com as universidades federais. O órgão exigirá que os reitores enviem a lista dos professores que participaram de greves para que sejam cortados os respectivos pontos. Quem for identificado como ausente pode ainda sofrer processo administrativo.

O governo afirma se amparar numa decisão recente do STF que, em outubro, decidiu que o poder público pode cortar o ponto de servidores grevistas. A proposta tem suscitado grande polêmica no meio acadêmico. Algumas universidades se negam a fornecer os nomes dos faltosos.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Fernando Fernandes

    e pior de tudo e ver uns idiota ficar criticando os professores desse pais.

    Curtir

  2. Fernando Fernandes

    Todo o meus conhecimento vem de vcs professores,,,,,,,,,,,,,,,,,,, obrigado eu tiro o meu chapéu para vcs.

    Curtir

  3. Que feio seu Ataíde Jorge de Oliveira, o senhor um advogado se referir dessa forma aos professores.
    Espero que o senhor não seja o advogadozinho do endereço R. … 114, … Ap. 605, Asa Sul, Brasilia, DF
    Vou denunciá-lo à OAB. Ah, inútil é o senhor, verme! Desde quando advogado produz alguma coisa para o desenvolvimento de um país!! Verme inútil.

    Curtir

  4. Amanda Trindade Ananga Manjari

    Meu deus! Quem eh essa gente que critica funcionários públicos? Ainda mais.professores? Deviam voltar para a escola pois CERTAMENTE são iletrados, ilustres impostores que NUNCA pisaram o solo de uma escola pública! Critiquem os desembargadores que ganham mensalmente mais de 600.000,00 por mês com a grana do pobre contribuinte! Quem são esses que criticam professores??? Certamente os ze ninguém frustrado, que NUNCA ralou de verdade, sob a pressão desumana das repartições burocráticas! Vão estudar primeiro, depois voltem para falar mal de professor! Vai pra escola pública trabalhar lá e ser pressionado e pisoteado todos os dias com salario atrasado e parcelado r$1.100,00! Nobres ignorantes! Corram pra vida de verdade! Estão sendo manipulados ou vcs são os miliardarios que exploram professor e mantem a maquina girando? Nossa juventude jogada as traças?///o que vcs preferem? Professor não é vagabundo não! É quase um escravo! O problema são os vagabundos no.poder pra vcs aplaudirem pois a vida de vcs não tem Nenhum problema

    Curtir

  5. Mauricio Reppetto

    Atitude correta, não trabalha então não recebe. Falta agora tomarem medidas contra os assim chamados estudantes profissionais, aqueles que empatam vagas nas escolas e universidades e nunca se formam.

    Curtir

  6. Marcio Magini

    Prezados,
    Os professores da UFRJ não estão e nem estavam em greve. Tampouco os estudantes. Somente os técnicos estavam, muitos não estão mais, em greve. Essa reportagem está totalmente errada.

    Curtir

  7. Saúde e educação no Brasil deveria ser tudo pago, quem quiser usar que pague por isso. O dinheiro que gastamos com isso deveria ser repassado para os nossos templos evnegélicos para continuar a sua missão de cristinanizar a nossa população.

    Curtir